Só se cura um amor com outro: o amor-próprio!

5min. de leitura

Quantos de nós nos ferimos, nos machucamos, fomos traídos! Tudo isso causa em nós um sentimento de uma intensa desolação! Sentimento muito comum após um rompimento, ainda mais quando se alimentou grandes expectativas.



Quanto mais acreditamos ser um amor para vida toda, mais sofremos e tentamos racionalizar o que fizemos de errado. Dormimos e acordamos com o mesmo sentimento de total vazio.

Muitos se sentem invadidos por uma tristeza profunda, as lágrimas caem e lá surge o sentimento mais aterrador: solidão.

Aí você se martiriza pensando em todos os momentos bons, e fica preso a um passado, que talvez de mais baixos que altos, mas a sensação de desespero invade. E assim você se sente destruído, humilhado e deixado de lado.


Afirmo: não há nada melhor que você possa fazer por você para aliviar esta dor do que continuar acreditando no amor. Mas não busque isso longe, e sim muito perto de você. Estou falando do amor-próprio!

A única forma de sair da lagoa de lágrimas é acreditar que o passado passou. Não adianta reviver, não adianta se desesperar ou se despedaçar. Levantar após uma queda é para os fortes, muitos caem e continuam a se deitar na lama da derrota, onde o vitimismo toma conta. É, talvez, a maneira mais fácil, porém a mais covarde de lidar com situações difíceis. Os fortes caem, lógico, todos somos humanos, mas da mesma forma que caem se levantam. Engolem o choro e partem para mais uma jornada maravilhosa chamada vida.

Amar-se é a melhor forma de se curar, de entrar em redenção consigo mesmo. Não é acreditando que só o amor de outra pessoa vai ajudá-lo(a) a processar um término recente. Não, não faça isso!

Você precisa de um tempo para recolher os cacos, limpar as feridas, olhar-se no espelho e ver a sua verdadeira imagem! Olhar para essa imagem sem mágoas, sem raiva, sem ressentimentos, olhar-se e ter certeza de que você é especial e tudo de ruim que acontece na vida é para o aprendizado. Nada é por acaso! Com certeza, se terminou como terminou, existe mais de um culpado, reconhecer os erros permite acertos futuros.


Aproveitar cada segundo para a prática do amor-próprio é divino é especial! Amores acabam todos os dias. No momento em que você está lendo este texto, vários relacionamentos estão terminando, isso não é luxo de alguns. Passar por vários amores até achar o “amor” é comum é natural ao ser humano, mas como lidar com o término é o passo principal para um grande AMOR.

Quando você se ama, quando se cuida e se trata bem após um final, esperado ou não, drástico ou não, você se liberta do sentimento de frustração.

Se você não tomar a atitude correta, amar-se e muito, você pode entrar na roda intensa de relacionamentos destrutivos, que terminam na velocidade que começam, e mais dor vai experimentar.

Todos temos que passar pelo luto. O luto de um fim de relacionamento deve ser vivenciado, porém, não com vestido preto e sentimento de solidão, pois ninguém morreu, muito menos você.

Términos fazem parte da vida. O que também deve fazer parte é o sentimento maravilhoso de recomeçar, apaixonando-se por si mesmo, admirando-se, amando-se… assim a cura acontecerá e você estará liberto das mágoas, pois como já citei, o que passou, passou, o que você pode fazer é dar o melhor de si, não para os outros, mas para si mesmo.

A cura vem quando não existe mais dor, pois você se libertou quando se amou mais que amou o outro… pois você é o grande amor da sua vida!


Direitos autorais da imagem de capa: wall.alphacoders / 550241

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

* Matéria atualizada em 06/08/2018 às 5:16






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.