10 razões pelas quais você deve dar muitos abraços sempre!

5min. de leitura

10 RAZÕES PARA DAR MAIS ABRAÇOS

Eu já li muitos artigos diferentes, escritos por muitos profissionais de áreas diferentes, e cheguei à conclusão de que quanto mais abraços uma pessoa recebe todos os dias, melhor. Não há um número estipulado, tal como um medicamento. O acto de abraçar é uma terapia integral. E das poucas que têm contra-indicações.



Aqui ficam algumas razões para espremer (trocadilho intencional) uma abraço, um carinhoso abraço, no seu dia-a-dia:

1. Abraçando o induz a oxitocina no organismo.

A oxitocina é uma hormona poderosa, que não só fortalece os laços com os nossos entes queridos mas também tem a capacidade de estimular a solidariedade entre estranhos.

2. Abraçar constrói laços mais fortes com as pessoas que tu vês todos os dias.

Abraçar nutre as relações humanas, cultiva e aumenta a confiança e francamente faz-nos pessoas mais felizes.


3. Abraçar reduz o stress.

Um bom abraço literalmente diminui os níveis de cortisol encontrado no corpo. Estamos a falar de um tratamento anti-ansiedade livre de drogas.

4. Abraçar reduz a pressão arterial.

Coleccionar abraços é excelente para o seu coração, em mais do que uma maneira!

5. Abraçar é uma boa ação recíproca.

Nunca se sabe o que está a acontecer na vida de outra pessoa. Quando um bom e sincero abraço sincero é dado, ele tem o potencial de alterar completamente o seu dia. Como é simples esta acção? Apenas envolve os teus braços à minha volta e abraça-me!


6. Abraçar faz-nos sentir incríveis!

O poder do toque humano é profundo e os nossos corpos estão cheios de nervos prontos para estimulação. A maior parte de nós provavelmente tem o desejo de toque humano durante o dia e simplesmente não tem consciência disso. Para quê gastar tanto dinheiro com uma massagem? Um bom e longo aperto tem a capacidade de, não só levantar o espírito, mas também sentir algo maravilhoso para o corpo.

7. Abraçar pode virar um mau humor de cabeça para baixo.

Se te sentes mal-humorado e anti-social, apenas tenta rolar para um caloroso abraço. Eu garanto que vais sair dele sentindo-te um pouco, se não bastante melhor.

8. Abraçar reconecta a mente com o corpo.

Pouco de nós tenta o nosso melhor para viver conscientemente. Quando o caos constrói no nosso dia-a-dia, no local de trabalho, atrás do volante, em frente ao computador, um bom abraço pode nos reconectar à ideia duma existência consciente. Um bom abraço tem o poder de nos levar para uma melhor postura, uma respiração mais profunda e um estado mais relaxado de ser.

9. Abraçar mais faz-nos melhores “abraçadores”!

Isto parece ridículo mas eu estou a falar a sério. Tu és culpado de não te comprometeres, com a atitude: “Eu não tenho tempo para abrandar” abraço de um braço só? Se assim for, não esperes colher o maior número destes benefícios. Aqueles que tiram um momento são aqueles que realmente beneficiam do poder dos abraços.

10. Abraçar cultiva a paciência.

As conexões são promovidas quando as pessoas usam o seu tempo para apreciar e reconhecer o outro. Um abraço é uma das maneiras mais fáceis de mostrar apreciação e reconhecimento a outra pessoa.

Hug me! O mundo é um lugar, ocupado pela azáfama e pelo movimento, e estamos constantemente a correr para a próxima tarefa.

Se abrandarmos e tiramos um momento para oferecer abraços sinceros ao longo do dia, estamos beneficiando nós mesmos, estamos a ajudar os outros e a cultivar melhor a paciência dentro de nós. Se não estiveres consciente da tua própria quota pessoal de abraços, começa a recolher abraços já.

Não há tempo como o presente e essa resolução vai deixar-te mais feliz e saudável. Afinal, como diz a terapeuta familiar Virgínia Satir,

Precisamos de 4 abraços por dia para sobreviver.

Precisamos de 8 abraços por dia para manter.

Precisamos de 12 abraços por dia para crescer.

Já agora, um abraço a todos…

__

Via: Ser Único

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.