Advogada alagoana é ‘salva’ por crianças que pediram para tomar banho na sua piscina

Em alguns momentos na vida, podemos nos sentir perdidos, à deriva, sem objetivo e sem saber qual caminho seguir. Esse sentimento normalmente surge depois de uma grande decepção, um acontecimento que nos faz acreditar que desperdiçamos todas as chances de conquistarmos as metas que definimos para nossas vidas.

Quando vivemos essa fase, só um grande choque pode nos fazer abrir os olhos e enxergar que o mundo é grande demais e que, ao invés de reclamarmos, podemos usar o tempo para apreciar tudo aquilo que já temos e nos capacitarmos para conquistarmos aquilo que ainda podemos.

Para a advogada alagoana Débora Oliveira foi, esse choque veio de uma maneira realmente inesperada, mas que foi essencial para transformar a sua vida.

Débora vive em São Miguel dos Campos, interior de Alagoas, e passa por uma fase muito complicada em sua vida. Recentemente, foi reprovada no exame da Ordem dos Advogados do Brasil, OAB. Esse resultado mexeu com ela, afinal foram 5 anos de faculdade mais muito tempo investido no estudo para a prova. Falhar foi realmente traumatizante!

Ela estava com uma autoestima muito baixa, sem nenhuma autoconfiança, acreditava que nunca mais conseguiria passar no exame novamente e estava praticamente desistido de conquistar sua carteira da OAB.

Incrível como podemos nos esquecer de tudo aquilo que já conquistamos quando enfrentamos um momento de dificuldade! Débora, por exemplo, se esqueceu de que sua vida foi sempre uma sucessão de superações. De família pobre, ela vendia ovo na feira com o pai e depois de muita luta conseguiu uma casa linda com piscina, no melhor bairro de sua cidade. Também parecia ter se esquecido de suas três graduações e duas pós e dos seus feitos pelas mulheres da cidade.

No entanto, um dia, tudo isso mudou, e a advogada desempregada recebeu tudo o que precisava para reagir!

O seu grande choque veio de uma maneira muito sutil:  cinco crianças batendo à porta de sua casa em uma manhã.

“Eu peguei 1 kg de alimento e fui até à porta. Quando eu cheguei, vi cinco crianças, entre 10 e 13 anos. Eram todos primos e quando eu fui fechar a porta, um dos garotos me pediu água. Eu disse que iria pegar e já voltava, mas aí ele falou: ‘Na verdade, tia, não era isso. Deixa eu tomar banho na sua piscina?’”, conta Débora.

Ela disse às crianças que a piscina estava suja, mas permitiu que entrassem para tomar água. Os pequenos, no entanto, insistiram em entrar na piscina, até disseram que limpariam o jardim em troca de um tempo na piscina. Ela não deixou que limpassem, mas permitiu que se divertissem um pouco na água.

Aquela situação fez com que Débora se lembrasse de si mesma e de que já esteve no mesmo lugar que elas, sonhando em ter uma casa com piscina para brincar. Observar a simplicidade e alegria das crianças a emocionou profundamente e fez com que tivesse uma realização.

Em meio às lágrimas, ela se desculpou com Deus por todas as reclamações e reconheceu que tem muito mais a agradecer, pela mulher que se tornou.

“Foi como um flashback. Voltei ao passado e pensei que nunca tinha imaginado ter uma casa em um bairro nobre da minha cidade. Olhei para aquela menina pobre e disse-lhe: ”você conseguiu! Você conseguiu deixar de ser a menina do ovo, e hoje é chamada de atriz da Globo por crianças que só queriam um prato de comida’ (…) Voltei ao senso normal depois desse choque de realidade. Tomei um banho e voltei para a área da piscina. Então, eu perguntei se eles tinham almoçado e todos ficaram sem silêncio. Aí um disse que eles recolhiam comida o dia inteiro e quando chegassem em casa a mãe fazia alguma coisa.”

Depois da brincadeira, Débora fez um macarrão com salsicha para as crianças almoçarem e se emocionou mais uma vez. Eles estavam muito encantados com a casa dela, e toda vez que faziam algum comentário sobre o quão rica ela era, Deborah se lembrava da própria infância.

No momento de se despedirem, um dos 5 meninos lhe disse que seria seu no dia seguinte, e logo depois mais um deles comemoraria mais um ano. Ela combinou que levaria bolo e refrigerantes no bairro das crianças para celebrarem juntos. No entanto, eles não apareceram, ela nunca mais viu os meninos, mas isso não muda o fato de que eles foram os responsáveis por tirá-la da situação em que vivia.

“Elas salvaram o meu dia. Tiraram a sensação de que eu era a mais fracassada. Ficaram tão felizes com tão pouco! Um banho na piscina suja com um prato de macarrão com salsicha. Lembrei de quem eu era e de quem eu sou hoje (…) Graças àquelas crianças eu fiz a inscrição no exame da Ordem. Farei a prova, e se por acaso eu não passar, mais uma vez, é por que não é minha hora, e tudo na vida tem uma hora. Até lá eu vou esperar o universo conspirar a meu favor e que as portas do mundo se abram não só para mim, mas para tantas outras pessoas, principalmente para as crianças pobres.”

Lindo demais! Realmente quando somos confrontados com uma realidade de vida totalmente diferente da nossa, podemos aprender muito! Tornamo-nos pessoas mais gratas e felizes, e aprendemos a apreciar a vida com olhos diferentes!

Como você demonstra gratidão por tudo o que tem hoje? 


Direitos autorais das imagens utilizadas no texto: ReproduçãoInstagram / @deboraoliveira_projetojunior




Deixe seu comentário