Logo aviso, que esse texto não é uma carta de amor.



Mas sim, uma recomendação sobre ele…

Primeiramente, três coisas importantes que você precisa saber: ela existe, é teimosa e você a sentiu pela primeira vez, no momento em que seu coração disparou incontrolavelmente. Um sentimento temido ou desejado, amado ou odiado, a paixão é a única energia que tem esse poder mágico de nos fazer viver. É o impulso diário para a vida.

Você pode tentar arrancar de todas as formas esse sentimento, mas a paixão não desiste de nós. A paixão está sempre caminhando em nossa frente, não espera os passos curtos e não olha para trás quando nos apressamos. É como se ela fosse nos arrastando, mesmo sem querer, mesmo sem a gente entender. Nesse caso, restam apenas duas opções: vamos atrás dela e satisfazemos os seus desejos oprimidos, ou ficamos prisioneiros e ela nos consome, assim, muito lentamente.


A paixão tem vida própria, não pense que você vai conseguir dominá-la. Muito pelo contrário, se você não tentar ao menos manter o controle da situação, ela se transforma em amor e você terá que se entregar de uma vez, sem dramas. Ao contrário do que parece e do que achamos, não somos nós que vivemos essa paixão, ela que vive dentro de nós.

O problema é que desde o primeiro olhar, até quando começamos a gostar verdadeiramente de alguém, nunca temos a certeza de que irá dar certo. Algumas pessoas se permitem e levam a paixão em frente, outros deixam o medo dominar os desejos. Nem sempre devemos correr todos os riscos, porém alguns são necessários.

Todo mundo um dia vai sofrer uma decepção amorosa, e terá seu coração quebrado pelo menos uma vez na vida. Mas, somente através dessas cicatrizes causadas pelo tempo, que saberemos dar o valor necessário quando encontrarmos a pessoa certa, que irá merecer todo o amor que temos para dar.

É através dessas experiências negativas, que saberemos reconhecer quando, por acaso ou sorte, aparecer alguém que vale a pena. Então, é por isso que eu digo que em certos casos, é mais do que necessário arriscar. Pode ser que realmente não dê certo, ou pode ser que você encontre o amor da sua vida. A única coisa que você tem que fazer é deixar o receio de lado, e arriscar sem pensar muito nas consequências. A felicidade pode estar batendo na sua porta, quando você menos estiver esperando, permita-se.


Abra as portas, e deixe entrar…

Temos que ter muita coragem para fazer escolhas, né? Deixar de lado uma opção, é correr o risco de um futuro arrependimento. Não sei o motivo e não entendo muito bem, mas nós temos esse lado de não acreditar no presente. Mais interessante que isso, talvez um tanto curioso, é que quando voltamos para o passado, nunca idealizamos como ele realmente era, mas como queríamos que ele fosse.

Sim, precisamos aprender que não existe um relacionamento idealizado. Bom, existe vida, e aí que temos que dar o nosso máximo, o nosso melhor. Para chegarmos lá na frente, afirmando com a consciência limpa que embora possa não dar certo, foi feito o que estava ao alcance para concretizá-lo.

Nesse exato momento, é que entra a tal da escolha…


Escolhas que podem dar errado, que podem dar certo ou então que deram errado para dar certo sem saber. Afinal, a vida não acaba depois da morte.

Acredito fortemente que morrer, é só uma passagem. E viver, pode ser bem mais difícil do que podemos imaginar. Mas que no final, isso também é só uma pequena escolha.

Saiba que eu escolho você.


Divagações sobre a sorte!

Artigo Anterior

Cê era calmaria, moço…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.