Para os apaixonados: o mistério da autoestima

6min. de leitura

Autoestima



Se eu não escrever a ideia foge. Sobe como um balão e se liberta da mente. Ou se põe como um sol ao entardecer. Ou a ideia brinca de esconde como a Lua. Quando está Crescente tudo flui com nitidez. As ideias brincam fogosas como amantes apaixonados na Lua Cheia. A inspiração dorme e sonha na Lua Minguante.

O balão sobe tanto que pode ser tragado pela atmosfera ou mesmo estourar. O sol volta sempre ao amanhecer.
Assim é a autoestima. Emoção forte que grassa nos consultórios psicológicos. Comentada nas conversas das mulheres solitárias. Descrita misteriosamente nos escritos dos filósofos. Até nos bares através dos copos que vivem juntos com os homens desiludidos. Ela diminui como a Lua Minguante na depressão que afoga tantos corações frustrados.

A palavra autoestima está mais batida do que as curtidas das redes sociais. 
Já receitei autoestima para meus consulentes desde os doze anos de idade. Todo mundo fala nela! Atraída pelos holofotes do ego, ela ilumina os passos dos bem-sucedidos. Mas sabe fingir bem nos sorrisos tristes. Todo mundo comenta sobre a autoestima, mas poucos conseguem alcançá-la. É como uma lebre saltitante que foge quando a gente quer alcançá-la. 


Somos almas apaixonadas pelo amor. O amor pode ser o alimento da autoestima. Quando a gente se sente amado a autoestima volta com toda força. Se o meu amor está apaixonado é porque sou muito legal. Bonito. Atraente. Feliz. Chego aos lugares acompanhado e com um sorriso quase egocêntrico. O balão enche tanto porque vem carregado de feromônios. Eu amo e sou amado. Sou especial! Estou louco de amor! Meu amor me quer! Ele me pediu em casamento! Ela respondeu meus torpedos insistentes. Sou charmoso, irresistível e gostoso. A pele ganha viço; os olhos brilham. O corpo bate no ritmo da paixão. Os apaixonados vibram na melodia incandescente da paixão. Esse fogo trama como a floresta na escuridão. Tudo parece silencioso, mas as feras esperam suas vítimas. Você ama o outro porque se ama? Ou se ama porque o outro o ama? Reflita! 
Melhor ser amado do que amar! Como conferir o termômetro do amor? Número de declarações? Curtidas nas redes sociais? Pedidos de perdão? A autoestima vai e volta como o pôr do sol.

Se ela foi embora por causa de outro, então, você não é mais legal. Poderá se sentir mais gordo. Desengonçado. Feio. Afinal, você foi abandonado. Por que o outro é mais legal do que você? O que fez de errado? Ah, essa necessidade de ser amado e apreciado do sábio Dale Carnegie.
Levar um fora mexe sim com a autoestima. Não se sinta mal. A madame autoestima é assim mesmo. Poucos conseguem mantê-la sob controle. Somos deuses em construção. Amar-se dá trabalho. Confundimos autoestima com falsa humildade ou então com o tolo orgulho. As grandes almas que amaram a Humanidade tinham elevada autoestima. Algo mais sublime e sadio.

O milagre da autoestima é que ela volta! Faça alguma coisa para ela voltar correndo para sua alma! A autoestima é uma paixão que não deve morrer jamais. Aconteça o que acontecer sempre a terá de volta. Você é único! É agradável, atraente e interessante. 


A autoestima não gosta de mentiras. Fingir que tem dá na mesma. Colabore com ela e se cuide. Cuide da sua vida. A liberdade de ser você mesmo pode ser o segredo das almas carismáticas. Duvide do engano do balão muito inflado. Pode subir mais, mas estoura! Duvide da Lua; ela está cada hora de um jeito. O Sol é o astro-rei e nem sabe disso. Toda tarde ele desmaia no horizonte e desaparece! Diminui para nascer o mistério da Lua. Esse é o segredo da sabedoria da Natureza. O falso amor se fantasia de ciúme e de posse. Quanto mais ciúme, menos autoestima. A baixa autoestima implora amor e piedade. Não sabe do poder de se amar e se aceitar! O orgulho (falsa autoestima) exige e cobra amor.

Entre em contato com seu eu interior. Imagine um sol resplandecente brilhando ao seu redor. Se a pessoa amada foi embora, azar dela. Se a autoestima sumiu, não tem importância. Ela volta. A beleza das almas nobres e almas apaixonadas é que elas sempre renascem! Voltam a amar e sorrir! E voltam a encantar os outros.

A autoestima desmaia no tédio da insegurança e do medo. O medo é um obstáculo ao amor. Ter medo o tempo todo pode virar doença. Aceite a vulnerabilidade da vida. A inconstância. A passagem do tempo. Aceite sua própria beleza sem se comparar muito com os outros.
Faça você mesmo sua magia interior para ter de volta a autoestima. Seja, às vezes, seu próprio mago, seu próprio médico. Acalente sua essência divina e celebre a vida! E, para quem está sozinho e triste: Feliz recomeço! 

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.