Casamento: a importância de saber dar e receber carinho

4min. de leitura

Muitos problemas que abrem as portas à frustração, insatisfação, subestimação, solidão etc. no casamento são aparentemente difíceis; no entanto, eles poderiam diminuir ou resolver se os cônjuges simplesmente buscassem mutuamente fazer com que o outro se sentisse amado, querido, apesar dos seus defeitos e erros.



Cada cônjuge precisa ter a certeza de que o outro o ama, do jeito que ele é, com seus defeitos e qualidades; isso o incentivaria mais na luta por se superar.

Se existe a incapacidade de dar e receber carinho no casal ou em um dos cônjuges, isso pode ter sua causa em muitos fatores, mas é algo que pode ser solucionado. Talvez precisem da ajuda de um profissional que lhes ensine a expressar e acolher do outro seus sentimentos, ao invés de escondê-los profundamente em seu interior, tornando-se impenetráveis.

Uma vez resolvido o problema de fundo que impede a manifestação e recepção do carinho, é preciso colocar tudo em prática.


Uma lista de amor para o esposo

Um bom dia, o esposo faz uma lista de possíveis oportunidades para alegrar sua esposa, mentalizando-a para poder dizer-lhe o que sente precisamente nesse momento, com a maior sinceridade. No dia seguinte, deverá retomar essa lista e ir ampliando-a, até que, na prática, o amor se manifeste de maneira espontânea: frases, olhares de admiração, gestos, sons sem palavras (como o clássico gesto de beijar a própria mão e depois soprar sobre o beijo, dirigindo-o à pessoa amada) etc.

Alguns exemplos podem ser:

– Dizer à esposa como ela é/está bonita
– Como é dedicada no que faz
– Quão bem resolveu este ou aquele detalhe com relação à educação de algum dos filhos
– Contar-lhe sobre como foi seu dia, pedindo-lhe conselho sobre alguma situação
– Agradecer-lhe por algo que ela tenha feito por você
– Acolher o carinho dado por ela
– Escutá-la sempre atentamente


A lista do amor pode ser longa, criativa e cheia de intencionalidade amorosa.

Que tal uma lista de amor para a esposa?

– Reconhecer como ele fez bem determinada tarefa
– Interessar-se e informar-se sobre o que ele opina na política, negócios, futebol, trabalho, hobbies etc.
– Escutá-lo sempre atentamente
– Acolher suas demonstrações de carinho

Estes “pequenos grandes detalhes” podem acabar sendo esquecidos ao longo do tempo. Mas você se lembra como estavam presentes durante o namoro? Que tal reavivar tudo isso?

Algo muito importante é que, diante de um defeito de caráter, uma dificuldade ou erro cometido, os esposos não reajam com ações ou frases que possam ferir o outro. É nessas horas que se deve exercitar o verdadeiro amor, na paciência e compreensão diante das limitações do outro. Trata-se de não abrir novas feridas nem tornar mais profundas as já existentes, o que atrasaria o processo de cura.

Mesmo assim, sem chegar a ferir o outro com palavras, as discussões são inevitáveis, mas serão como o tempero da relação, que se fortificará quando fizerem as pazes.

Nisso consiste – principal, ainda que não exclusivamente – a capacidade de expressar bem os próprios afetos, de compreender o outro, de interessar-se por ele, de sair de si, em suma, de amar, que significa também cuidar do outro.

Essa capacidade de dar e receber carinho entre os esposos dá frutos ao expandir com mais força seu amor pelos filhos.

 

___

Fonte: Aleteia

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.