Esperava outra reação sua

3min. de leitura

Vou mentir se eu falar que, pra mim, foi tudo bem o jeito que reagiu depois de tudo que te contei. Vou mentir se eu falar que sou compreensivo e entendo você. Minha cabeça até pode tentar explicar, mas meu coração não consegue entender. E este é o problema.



As teorias dizem coisas que o coração contradiz.

A todo momento era eu ponderando sentimentos na tentativa de me proteger. Metade do meu cérebro falava que era melhor eu reduzir minhas expectativas, a outra metade, porém, falava que era melhor eu continuar como sou: aquele eterno otimista, aquele que prioritariamente enxerga o lado bom. É uma lógica muito efetiva para decorar.

Só que a vida real nem sempre tem os finais felizes dos filmes.


esperava

Me preparei para descrever o melhor dos sentimentos por você. Me preparei para abrir meu peito e te convidar para entrar. Me preparei para te revelar que eu não te via só como uma amiga. Me preparei tanto.

É que às vezes o segredo está justamente em não se preparar, mas sim em só confessar sem medo de errar.


Você entendeu diferente. Ou entendeu certo e agiu diferente. Ou agiu de forma correta mas diferente do que eu esperava. E bingo, temos: eu esperei tanto uma reação sua através dos sinais que me dava, mas esperei por algo que não chegaria.

Tentei roteirizar uma história que tem o coração como diretor.

Você disse estar vivendo outra coisa. Outra fase.
E sua honestidade flechou meu peito e cada uma das minhas esperanças. Dormi tentando te culpar para me evitar sofrer, sem perceber que não havia errados nisso tudo, não era eu e nem você.

Te contar meu sentimento foi só um pedágio na estrada da sua vida, algo para parar e prestar atenção, mas superar e seguir viagem. Você viu como fim o que eu via como começo.

E a minha raiva é não poder apontar culpados. Fico furioso ao ser obrigado a admitir que: as coisas simplesmente podem ser assim, isto é, raramente alguém vai reagir do jeito que a gente espera. Esta é uma das rotinas da vida.

E tudo isso em nada tem a ver com idade, imaturidade ou coisa que o valha. É muito mais sobre as rasteiras que a vida dá na gente sem que percebamos. E sobre como é importante levarmos essa mesma vida como uma trilha na floresta: cheia de obstáculos até que possamos ter uma vista boa do que há de mais bonito.

Ainda bem que nós, os otimistas, nunca cansamos de caminhar, né? É.

___

Publicado originalmente em: Um travesseiro para dois

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.