AmorDesenvolvimento InteriorRelacionamentos

Não seja o cara errado que um dia eu fui

Ontem enquanto voltava da lanchonete do seu Valdecir, encontrei um amigo que não via desde que parei de ir às partidas de futebol nas sextas à noite.  Perguntei a ele como estava a rapaziada e em seguida o questionei se estava bem. Ele então perguntou se eu estava com o tempo livre, queria desabafar. Como eu não tinha nenhum plano para o resto do dia, sentamos em um banco de madeira que fica na esquina da rua da minha casa. Foi então quando ele resolveu falar do relacionamento com a namorada.



“Sabe cara, faz tempo que não conversamos. Você sempre foi o meu parceiro, sempre me deu os melhores conselhos e em todos os casos você sempre tinha razão. Senti a sua falta nos últimos meses, mas preferi não te procurar, afinal eu já estou com problemas suficientes para ocupar a minha cabeça. Sabe a Mariana? Não sei mais o que faço para vivermos em paz. Ela me cobra muito. Reclama que eu não a elogio mais. Fala que eu não tenho mais tempo para ir ao cinema. E que não sou romântico. Mas eu nunca fui romântico. Por que essa cobrança agora? Vive implicando por eu tirar um dia na semana para virar a noite com os amigos. E até o meu celular, quer controlar. Você está ligado que se ela pegar, eu estou ferrado né?

Estamos trocando insultos quase todos os dias – até mesmo por eu não reparar na unha que ela acabara de fazer -, você tem noção? Como uma pessoa pode ser assim? Minha mãe a adora. Deixo-a sair com as amigas sem bater o pé com a hora, local ou roupa que está saindo. Não peço as mesmas satisfações que ela me pede. E a deixo fazer o que quer. Dou tudo o que ela precisa. E é esse o pagamento que recebo? O que mais ela quer? Sinceramente, estou para chutar o pau da barraca, jogar os tênis no fio elétrico e sair desse relacionamento. Quando eu era solteiro tudo era bem mais tranquilo e sem complicações. Agora vivo cercado de cobranças. Mas o problema é que apesar de tudo, eu gosto dela.”

Analisei calmamente tudo e respondi:


“Enquanto você falava, pude enxergar nas tuas palavras o cara que eu fui há algum tempo atrás. A diferença é que eu fui pior. Eu achava que estar presente nas noites de prazer, andar com os dedos entrelaçados na rua e mandar umas mensagens com “Bom dia” e “Boa Noite” era o suficiente para manter o nosso relacionamento firme. Eu fui tudo o que ela não queria que eu fosse. Menti. Não tive paciência. Trai. Segui as ideias erradas dos meus amigos-entre-aspas e no final de tudo, acabei com o banco carona do meu carro vazio. Sabe amigo, eu queria ter a oportunidade de voltar no tempo. Ser cobrado. Poder ser o romântico que ela desejava. Deixar as minhas noitadas para dividir o edredom ao seu lado e não ter medo algum de deixa-la ver o meu celular. Saudade de ouvi-la dizer que ia à manicure. Queria poder ver como ficou o resultado e ter o prazer de elogia-la pelo bom gosto. Queria ter tido a chance de apresenta-la à minha família. Tenho certeza de que minha mãe iria adorar aquele jeito tímido que ela tinha. Mas eu fiz questão de fazer tudo errado. Eu fui o que você está se tornandoEu fiz ela sujar o rosto de preto quando tudo o que ela queria era que eu a fizesse sorrir. Eu gritei. E como recompensa, eu a perdi.

Ela se foi, e eu dou toda a razão. Ela não merecia aquilo. Quer dizer, eu não merecia ela. Hoje, o cara que vivia cheio de amigos chega do trabalho e fica sozinho em casa. Assiste o jornal local para acompanhar as mesmas tragédias de sempre e vai dormir. Deixei de ir às peladas porque não tenho mais ânimo. E eu só ainda saio de casa para vir à lanchonete do seu Valdecir, porque vínhamos aqui todas as noites comer hambúrgueres no início do nosso namoro. E cara, só de sentir o cheiro de bacon eu consigo fechar os olhos e vê-la dizendo que amava aquilo. Essas coisas ainda me fazem sorrir sem descolar os lábios. E sabe, eu prometi para mim mesmo que não ia sofrer com a partida dela. Mas eu também prometi que nunca a faria sofrer. Então está tudo quite. Ei amigo, acorda desse sonho que você acha que vive. Esse mundo pode parecer bom, mas a tua companheira é mais, cara. E ainda que ela não seja para sempre, não permita que você seja o motivo do desse fim.

Não coloque um ponto final numa história de amor onde tem tudo para ter vírgulas e reticências. Porque não há nada pior do que olhar para o lado e ver que o seu grande amor ficou para trás. Dói mais ainda saber que a culpa disso tudo é sua. Ela só quer ser tratada de uma forma parecida com a mulher que ela gosta de assistir no cinema que você nunca tem tempo para acompanha-la. Ei cara, você ainda tem tempo de reverter essa realidade e resgatar a sua felicidade. Já eu, só tenho poucas lembranças e a esperança de que esse peso vai sair das minhas costas me permitindo respirar sem dificuldade. Aos poucos ele está aliviando. E um dia vai passar.

________


Originalmente Publicado em: Wesley Néry

Como ter mais prazer na sua vida:

Artigo Anterior

5 razões pelas quais pode ser impossível compreender piscianos

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.