Amor

Onde houver o amor, há esperança.

É difícil demais quando o que era tão incrivelmente espetacular (apesar dos pesares) do nada muda, assim, sem um motivo aparente, sem explicação… E ai você fica tentando achar uma resposta e não encontra… Você tenta consertar, mas não sabe como. É como se de repente a vida parasse, e ai restam as interrogações…porque isso está acontecendo?! Porque agora?! E a respostas não vem. É como se do nada você perdesse o valor para aquilo que a tão pouquíssimo tempo atrás, você era o porto seguro, o lugar ao sol. E você simplesmente não entende, apenas sente falta, falta de como era antes, sente o vazio, sente que está por um fio…a beira de um abismo. Que seja. O chão se abre um pouco mais a cada segundo, porque um botãozinho dentro da cabeça liga e insiste em te perturbar, te dizendo e repetindo que agora, dessa vez, se acabar, acabou. Porque ai talvez não tenha mais jeito, talvez não tenha o que ser feito, porque já vai estar fora da sua alçada, consertar. Mas e se ainda tiver conserto? Ai você vai à luta, porque sabe que não é algo superficial, não é como das outras vezes, com outras pessoas.



O diferencial é o que faz valer a pena. Apesar de nos dias de hoje tudo ser muito “descartável” eu prefiro pensar e agir como antigamente, se estiver rachando, conserte, antes que quebre. Porque se quebrar, ai sim será mais difícil. Se te faz bem, se te arranca sorrisos, se enche tua vida de alegria e torna tudo mais leve, não deixe ir, não perca de vista, não deixe o ” mal entendido” o “mal feito” a dúvida, o medo, o orgulho falar mais alto.

Tente. Recomece. Faça diferente. Que tudo lá na frente se ajeita. As vezes nem precisa de muito. Pode ser que, nem seja tão complicado quanto parece ser. As vezes é tão simples e a gente complica. Afinal, amor não precisa de explicação, não tem certo e errado, nem manual de instruções. Amor precisa apenas ser, sentido. Ser, vivido.

 


Por ALINE MELHADO  – COLUNISTA THE SECRET

Tudo depende de você!

Artigo Anterior

O impacto da oração nos relacionamentos:

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.