Os opostos se atraem? não. Ache alguém como você!

7min. de leitura

Relacionamentos são muitas vezes interpretados como o resultado de uma troca de bens e serviços. Senso comum, generalização e esteriótipos de gênero nos dizem todos que os sexos querem coisas diferentes em um parceiro ou parceira: “Os opostos se atraem”, já prenunciava a lenda urbana.



De acordo com Ryan Schacht, pós-doutor em antropologia pela Universidade de Utah, nos Estados Unidos, essa interpretação é constantemente reforçada, indo dos sonetos de Shakespeare, passando por comédias românticas modernas e chegando até aos conselhos de avós, e a conclusão parece evidente: homens e mulheres são dois lados de uma moeda, yin e yang, opostos naturais.

O único problema com esse pensamento é que ele é errado, de acordo com as últimas pesquisas.

Por que achamos que os opostos se atraem

A visão predominante de que os opostos se atraem, de que tudo gira em torno da troca, está alinhada com décadas de pesquisa na área. O argumento, enraizado em diferenças sexuais básicas, é de que homens e mulheres se engajam em estratégias fundamentalmente diferentes para garantir a sua capacidade de sobreviver e se reproduzir. Como os homens investem menos do que as mulheres na reprodução, se eles tiverem múltiplas parceiras, se beneficiam mais do que as mulheres.


“Assim, machos avaliam indicadores de capacidade reprodutiva das parceiras. Essa avaliação é particularmente aguda para a nossa espécie porque a janela de fertilidade das mulheres é bastante curta em relação à dos homens. Então, os homens dão mais importância à aparência física de uma parceira em potencial, pois ela serve como um indicador de fertilidade”, explica Schacht.

As fêmeas, por outro lado, suportam o peso dos custos de reprodução e assim o acesso aos recursos torna-se central para criar filhotes bem sucedidos. Assim, as mulheres, que têm algumas das crianças mais caras do reino animal, são bastante interessadas ​​na capacidade de investir de um parceiro. As mulheres querem indicadores de capacidade de um homem para adquirir e fornecer recursos. “Assim, as nossas preferências opostas são, simplificando, devido às nossas diferenças sexuais básicas”, conclui.

Evolutivamente, essa seria a explicação para a mulher bonita casando com o velho rico.


Desmistificando

Porém, pesquisas mais recentes desafiam essa abordagem simplista de “os opostos se atraem”. Por exemplo, enquanto os homens são muitas vezes rotulados como com “preferência por múltiplas parceiras”, estas preferências são inadequadamente presumidas – como a maioria das generalizações. Muitos homens são bastante avessos a relacionamentos incertos e de curto prazo e, ao invés disso, querem um compromisso de longo prazo com uma única parceira.

Cada vez mais, resultados de estudos interculturais contradizem as noções ocidentais de “os opostos se atraem”. Por exemplo, em alguns casos, são os homens que desejam uma parceira investidora e, em outros, as mulheres mostram uma clara preferência pela beleza masculina.

Um corpo de teoria chamado de “acasalamento seletivo” afirma que indivíduos que são mais parecidos acabam juntos. A antítese das alegações de “os opostos se atraem” pode ser chamada da abordadem de que “os parecidos se atraem”.

Por exemplo, pesquisas de “os parecidos se atraem” constatam que as preferências dos parceiros são fortemente influenciadas por, por exemplo, a imagem que têm de si mesmos. Ou seja, as pessoas que se acreditam serem ótimos companheiros são geralmente mais exigentes com os companheiros que escolhem. Mais especificamente, se ele ou ela acham que são muito bons em alguma característica (como atração física, educação, confiabilidade etc), também querem que seus parceiros sejam bons nisso.

Tudo se resume a parceiros que combinam

Trabalhos recentes exploraram esta abordagem utilizando dados dos EUA e descobriram que, sim, como é comumente esperado, mulheres fisicamente atraentes muitas vezes desejam homens de status altos e homens de status alto desejam mulheres fisicamente atraentes. No entanto, se os dados são analisados ​​a partir de uma abordagem de “os parecidos se atraem”, é claro que as mulheres atraentes desejam homens atraentes e homens de status alto desejam mulheres de status alto. Igual para igual.

Assim, os relacionamentos não parecem ser uma troca de bens e serviços, mas sim de parceiros que combinam. Mas por que vemos esse padrão? Por que queremos alguém como nós?

Bem, se analisarmos o reino animal, é fácil ver que os seres humanos são criaturas incomuns. A monogamia entre os animais é extremamente rara; ainda mais incomum é o cuidado paternal. Como nossos filhos levam um longo tempo para se desenvolver e precisam da ajuda de um pai ou mãe, relações estáveis ​​de longo prazo são provavelmente de interesse de ambos.

“Portanto, formamos pares com base em traços e avaliações similares a um companheiro para, eventualmente, termos laços mais duradouros”, explica o pesquisador.

Em conclusão, a maioria de nós quer algum dia encontrar a nossa alma gêmea que, por definição, também estará nos procurando. Mas, se todos nós estamos buscando nossa outra metade, que nos completa, por que a maioria dos relacionamentos terminam em fracasso? Por que o amor é tão cheio de mágoa?

Possivelmente porque a abordagem “os opostos se atraem” de relacionamentos está fadado ao fracasso desde o início. Se você quer ser feliz, parece que você precisa ser realista sobre si mesmo. O melhor companheiro para cada um de nós não é um ideal cultural ou social, mas alguém que seja correspondente a nossa personalidade. [Science20] – [ hypescience.com ]

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.