AmorMensagem de ReflexãoMensagens

Quem sou eu? a pergunta essencial que nos impulsiona

É claro que você já se fez essa interrogação várias vezes, não é mesmo?



Na verdade, essa questão nos acompanha pela vida, afinal, é ela que nos move em direção ao entendimento de nós mesmos, é a chama divina aquecendo o nosso coração para que despertemos do sono da ilusão.

Normalmente, a nossa busca pela resposta é cheia de conflitos, desvios e enganos, mas é preciso compreender que isso faz parte do processo evolutivo; na verdade, é através da experiência, do sentir as emoções, o viver em profundidade as várias oportunidades que o Universo nos oferece, que acordamos para a Luz. É através da vida que nos conscientizamos da nossa verdadeira identidade e da responsabilidade que temos como cocriadores, de como as nossas escolhas são decisivas sobre a nossa própria história e sobre tudo aquilo que nos cerca, de como é importante fazermos apenas escolhas livres e evolutivas para contribuirmos para o equilíbrio do Todo e também para não gerarmos mais karmas negativos.
Acontece que ao encarnarmos e mergulharmos no mundo das formas, cuja densidade é bastante magnética, nos esquecemos de quem somos, e até que nos lembremos disso nos envolvemos nas tramas da vida, geradas não só pelos nossos karmas, mas por aprendizados evolutivos naturais que obedecem aos desígnios da Luz.


Durante a nossa experiência na vida, somos ludibriados por nossas projeções, desejos, conceitos, aversões e crenças, passando a acreditar que somos apenas a personalidade criada por nossa mente, pelo nosso falso eu – o ego, aquele aspecto de nós mesmos que pensa e age tendo como objetivo apenas o seu próprio benefício por não ter nenhuma consciência da Unidade. Isto acontece porque o ego acredita apenas naquilo que os sentidos físicos lhe transmitem, se deixando levar pelos prazeres ou dores gerados por eles. Como resultado disso, na maioria das vezes, a pessoa passa a viver apenas para satisfazer os seus apelos ao invés de vê-los como instrumentos para a compreensão de si mesma. Ela apenas segue o turbilhão das emoções, das solicitações externas e desta forma a sua ilusão de separatividade, a sua busca pelo prazer e a falta de compreensão da dor a afasta ainda mais do encontro com a verdade.

Mas, como a criação divina é perfeita e a sabedoria inata no Ser conhece a Verdade, chega um ponto deste afastamento que o seu verdadeiro EU sente a dor da distância, entra em crise e busca desesperadamente voltar ao seu estado primordial, ele não suporta mais os conflitos e enganos, e intimamente busca o entendimento, a libertação da ignorância de si, começando assim o ápice do processo de despertar. Bem, o recurso que temos para isso é silenciar a nossa mente, esvaziá-la de toda a ilusão para que ela se torne apenas receptiva e restabeleça a reconexão com o verdadeiro EU, com o Todo e nos ajude no processo de reconhecimento de nós mesmos.

Na verdade, a mente é um poderoso instrumento da Consciência que está conectada simultaneamente aos sentidos e ao espírito e deveria ser usada positivamente e criativamente como uma ponte entre esses dois planos, mas devido à nossa ingenuidade não sabemos ainda como fazer isso… Na verdade ficamos envolvidos pelo burburinho do meio ambiente, pelos dramas das circunstâncias que nos envolvem, sentimentos e emoções e deixamos que a mente crie um labirinto de pensamentos… mas, acredite não há nada de errado nisso, isso faz parte da jornada… a nossa mente precisa apenas ser dominada e educada para que possa exercer plenamente a sua função decodificadora e criadora.

Assim sendo, precisamos esvaziar a mente de toda a ilusão para que a resposta para a nossa pergunta “Quem sou Eu?” venha. Só assim a nossa visão etérea será purificada e poderemos nos lembrar de quem somos. Quando cessarem todos os pensamentos, julgamentos e expectativas; quando não houver mais nenhum questionamento; quando a entrega ao Absoluto for plena e real, a resposta virá.


Portanto, abandone-se, mergulhe no vazio… pare de lutar… pare de querer provar alguma coisa… relaxe… deixe ir todas as ideias que você tem sobre si, suas crenças, seus desejos e preconceitos, desapegue-se de todas as projeções criadas por si mesmo… Esqueça o sofrimento e o medo… o sofrimento vem do ego que não quer render-se… não tenha medo de não se realizar, pois no seu cerne você já é realizado, sempre foi e sempre será… Esteja apenas aí dentro de si mesmo… sem nenhuma expectativa, sem nenhum questionamento… sendo apenas um observador… vivenciando apenas Amor e Paz…

Este é o final da busca… e a revelação sobre quem você É pode então se manifestar…

A compreensão e a certeza de ser Consciência Pura, imutável e eterna…

Plena de Compaixão, Serenidade, Sabedoria e Simplicidade…


Verdade e Amor…

Unidade, enfim…

Márian  


Perdoar é necessário!

Artigo Anterior

Vencendo as limitações

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.