Saiba como realmente cumprir suas metas para 2016:

7min. de leitura

“Às vezes as coisas menores são as que ocupam mais espaço no seu coração.” –Winnie-the-Pooh
Metas são sempre exaltadas. Ninguém ousa dizer que não tem ao menos uma meta para o Ano Novo! O foco é super enfatizado, enquanto  a simplicidade é subestimada.



Estamos obcecados em fazer as coisas e fazer as coisas acontecerem. Quem de vocês já não se comprometeu mais uma vez com metas do tipo fazer mais atividade física  ou se alimentar melhor? Afinal de contas esta ainda é a resolução número 1 que muitos fazem e pouquíssimos cumprem.

Fazer resoluções e as cumprir não é uma tarefa simples, por mais que elas sejam importantes. Não admira que muitos de nós (eu incluída) relutem com a ideia de fazer uma resolução de Ano Novo. E quando as fazemos geralmente tenhamos tanta dificuldade em cumpri-las. Quantas de suas resoluções de Ano Novo já fizeram alguns aniversários na fila?

A resolução típica se concentra em melhorar um aspecto específico da vida – adicionando outra de coisas a fazer. O que acaba por se tornar uma lista já sem fim, apelando para mais foco, esforço e energia. A ideia de fazer mais uma coisa – mesmo quando é para nosso próprio bem – torna-se um empecilho real. Nosso mundo fica menor e mais apertado, mesmo que nós estejamos tentando torná-lo maior e mais espaçoso.


Na verdade há sempre uma tensão entre a forma como a vida é e como você quer que ela seja – que é onde as resoluções de ano novo entram, e é por isso que elas falham. Quando você escolhe um objetivo ou uma intenção para o ano, seus hábitos atuais e formas de viver são colocados de lado. Mas o problema é que eles ficam no meio do caminho. É como se você tentasse empurrar móveis em um quarto que já está lotado, e você ainda necessita  de cada um deles.

Bem, a verdade é que nós precisamos de metas sim, sempre. Mas o que nós necessitemos primeiramente é de uma estratégia que nos ajude a alcançá-las evitando as armadilhas que geralmente nos fazem desistir antes mesmo de começar. Seria como ir encontrando a melhor forma de nos livrar da mobília que já não nos serve e abrir espaço para a nova.


Tenha foco, mas aprecie a paisagem

Você ouve sobre se esforçar para manter o foco e ter uma mentalidade em cumprir metas e “fazer o que tem que ser feito” em todos os lugares. Este foco de lazer serve para abafar o ruído de fundo e mantém os seus olhos voltados para o prêmio que você terá depois do trabalho feito. Na verdade, esta concentração orientada para o objetivo é admirada em nossa cultura de realização.


Não há, é claro, nada de intrinsecamente errado com manter o seu foco orientado a um objetivo. Mas o preço desse foco estreito, hora após hora e dia após dia, voltado para apenas uma direção pode fazer falta em um aspecto amplo. Afinal, não se pode ver a floresta apenas pelas árvores. Isso pode fazer com que alguns objetivos ou suas resoluções de Ano Novo sejam sentidas como um peso pesado e isso pode levá-lo a dar para trás.

Você já parou para observar como as crianças fazem as suas coisas de forma descontraída e atenta ao que ocorre ao redor delas? Por mais focadas que estejam elas estão sempre atentas às pequenas maravilhas que as fazem se divertir.

Quantas vezes nós, como adultos, perdemos uma perspectiva maior, porque o dever nos chama? Portanto, mantenha o foco, mas não perca a beleza e nem a diversão de tudo o que ocorre a sua volta.


Todo grande começa em pequeno

Ninguém gosta de pensar pequeno quando se trata de resoluções de Ano Novo. A tendência é querer fazer grandes mudanças. Do que serve perder apenas 1 kg quando a meta é perder 15? Não parece inútil apenas subir um vão de escada quando o recomendado é correr 45 minutos por dia?

Pequeno parece insignificante. De que adianta?

Acontece que pequenas mudanças ao longo do tempo fazem uma grande diferença. Na verdade, uma mudança duradoura começa com muitas pequenas mudanças no comportamento. Quer exercitar-se mais? Comece com duas flexões. Só duas. Sim, mesmo que pequenas.

Há um truque que sugere ligar algo que você já faz de forma consistente com uma nova pequena mudança. É por isso que olhar para o ritmo do seu dia inteiro é útil. Ao ver o todo, você pode observar seus rituais e hábitos, e encontrar os lugares onde faz mais sentido e encaixar aí um novo comportamento.


Por exemplo: Quer escrever mais? Depois de entrar no carro no final do dia de trabalho, escreva uma frase, uma ideia, um parágrafo que seja em seu caderno antes de iniciar seu trajeto para casa.

Quer comer mais conscientemente? Após a primeira mordida no jantar, pouse o seu garfo e mastigue os alimentos até engolir.

Quer ser mais organizado? Organize uma área em sua casa após ligar a máquina de lavar louça.

Quer ser financeiramente mais responsável? Depois de chegar em casa das compras, esvazie suas moedas em um cofrinho.

Roma não foi construída em um dia. Metas não têm que ser assustadoramente grandes ao ponto de você sentir-se incapaz de comprometer-se com elas por medo de se frustrar se não as realizar.

O foco não precisa ser excludente ao ponto de você ter que abrir mão dos simples prazeres da vida e de coisas importantes para você.

Como o sábio Winnie-the-Pooh diz: “Às vezes as coisas menores são as que ocupam mais espaço no seu coração.”

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

* Matéria atualizada em 07/07/2017 às 3:35






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.