Uma mulher rezou durante anos para seu marido alcoólatra mudar. Sua fé foi tão grande que somente desistiu depois de 20 anos.




“Que Deus é este que permite o sofrimento de quem só faz o bem?” Este foi seu pensamento nos momentos finais de sua fé.
Seu raciocínio era simples: se o marido mudasse, ela viveria melhor.


Outra mulher rezou muito pedindo força e sabedoria para se transformar. Ela tinha um marido alcoólatra e sofria com isto.
Ela decidiu lutar para manter a família unida, mas sabia que para conseguir seu intento deveria aprender a não ser infeliz.
Esta outra mulher assumiu a responsabilidade de sua vida e de sua felicidade. Ao longo dos anos foi ganhando força, amadurecendo, aprendendo e desenvolvendo várias habilidades.

O marido continuou alcoólatra, mas ela estava cada vez mais evoluída. Tão evoluída que pouco sofria com o marido que tinha. Seus filhos tiveram nela o exemplo e a orientação sensata para crescerem sadios e trabalhadores.


Ela manteve sua fé. Seu pensamento era assim: “eu me ajudei, Deus me ajudou e juntos ajudamos minha família”.

Duas mulheres que partiram da mesma situação. Dois resultados muito diferentes.
Uma buscou culpados. A solução não vem dela, e sim de Deus e do marido. Ela não evoluiu, ficou do mesmo jeito por longos anos. Não enfrentou suas dificuldades, nem suas limitações e defeitos. Ela, assim como o marido, ficou paralisada.

A outra buscou a verdade: “todos têm que evoluir, vou assumir a responsabilidade pela minha vida e minha felicidade”. “Se eu evoluir em áreas nas quais nunca evoluí, serei mais completa e, portanto, mais capaz de gerar minha felicidade”.


A evolução exige aprendizado. Aprendizado exige movimento, experimentação e descoberta. É por isto que amar é um verbo.

Observe esta pequena poesia escrita por mim:


“Enquanto o amor pulsar, algo bom acontecerá. Pois amar é verbo e verbo gera ação.
Enquanto houver amor, haverá atitudes, haverá braços estendidos e sorrisos abertos.
Enquanto houver amor, a destruição será contida. Pois onde o amor impera sempre haverá o renascer.
Amor é movimento, é o ideal para quem evolui, aprende e amadurece”.


Regis Mesquita

Ao abrir mão de evoluir, a primeira mulher paralisou o Fluxo da Vida. Desta forma, ela matou o renascer, o desabrochar, a descoberta e a emersão de uma vida de paz, realização e equilíbrio.

Regra um: o primeiro passo para mudar a realidade é mudar você mesmo. Prepare-se para ser melhor e poder ofertar mais.

Regra dois: tente não depender de ninguém e nem de nada quando for produzir o bem e gerar virtudes.


Regra três: se possível, trabalhe em equipe. Se não for possível, escolha seguir o caminho que irá gerar os melhores frutos para o espírito que você é.

Regra quatro: respire fundo! Abandone os julgamentos e tenha bem-estar!

Por Regis de Oliveira


As coisas que deixei passar e as pedras que me deixei soltar

Artigo Anterior

Comprometimento com a verdade

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.