4min. de leitura

Terapias holísticas integrativas: caminhos de equilíbrio e cura

Prezados, atualmente existe grande variedade de terapias holísticas em atividade, antigas, tradicionais e também muitas novas chegando para serem apresentadas e trabalhadas, com o objetivo de equilibrar o ser humano.

Ocorre que as terapias possuem suas particularidades, raios de atuação, abrangência e suas especialidades. Este artigo não citará todas, nem poderia, mas somente algumas já bem conhecidas, a título de exemplo prático.



A análise e reflexão deste artigo é que devemos observar e procurar saber um pouco mais sobre a proposta de cada técnica terapêutica e como esta técnica poderá ser ajustada à personalidade de cada um, uma vez que cada pessoa é um universo de informações, hábitos, ambientes, culturas e energias diferenciadas. Desta forma, as necessidades energéticas, físicas, mentais, emocionais e espirituais de cada pessoa se diferem muito.

Nem todas as terapias são ideais para todas as pessoas. Não há como afirmar que, porque uma técnica é boa ela terá sucesso com todos os atendidos, porque, inclusive, há resistências individuais.

Por isso é preciso analisar com cuidado o perfil de cada cliente, o ideal seria utilizar a técnica integrativa que consegue mesclar diversas técnicas, de acordo com a realidade pessoal do cliente.

Há casos em que acupuntura é excelente; para outros, há resistências. Há a já consagrada homeopatia, mas em alguns casos conjugando a psicoterapia, aconselhamento espiritual ou Thetahealing podem ser mais recomendados, a aromaterapia, a radiestesia como técnica investigativa, seguido do tratamento com a radiônica, bio magnetismo, técnicas de bio ressonância diversas. Reiki pode ser usado na maioria dos casos, mas há muitos casos em que se deve complementar com outras técnicas, tipo cromoterapia, cristais, entre outras. Um pacote bem elaborado pode causar excelentes resultados, direcionando o tratamento baseado na personalidade e particularidades de cada indivíduo.


As terapias holísticas não tratam a doença, mas o doente, ou seja, o ser humano como um todo.

Podemos ter cem pessoas com dor de cabeça e recomendar analgésico para todas elas, mas, se cada uma dessas pessoas é um universo diferenciado em si, um microcosmo, elas devem ser tratadas, cuidadas personalizadamente como um todo, buscando as origens do adoecimento da pessoa, se mental, emocional, espiritual ou física.

Não se atendo aos sintomas (os efeitos), mas buscando, origens (as causas). Tratando integrativamente as terapias físicas, energéticas, espirituais, emocionais, comportamentais, podemos conseguir melhores resultados para o equilíbrio do ser humano como um todo, corrigindo todas as partes que nos compõem nas dimensões do ser.

Obs: Muito importante lembrar que, como já tratei em outro artigo, o sucesso de um tratamento terapêutico está na maior parte na atitude, comportamento e posicionamento mental do tratado do que na técnica e no desempenho do profissional que atende.


Que sejam todos iluminados em suas escolhas nas técnicas terapêuticas e nos profissionais, para que alcancem equilíbrio, bem-estar e cura.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: wavebreakmediamicro / 123RF Imagens

Você sabia que O Amor está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.