Bem-Estar e Saúde

Universidade de Harvard anuncia possível vacina contra o câncer. Resposta foi positiva em testes

vacina contra o cancer

O importante avanço foi anunciado no mês de abril e pretende mudar os ramos da medicina no que diz respeito ao combate de uma das doenças que assolam o mundo inteiro: o câncer.



Na última quinta-feira, 1° de abril, um estudo da Universidade de Harvard mostrou em testes que a produção de uma vacina foi eficaz para combater o melanoma, tipo agressivo e letal de câncer de pele. O efeito da vacina pode durar anos após sua aplicação!

Esse passo é incrível para a comunidade científica, pois através dele muitas outras pesquisas serão elaboradas a fim de ajudar no controle e na possível cura da doença. A pesquisa consistiu em examinar oito pessoas que tiveram o melanoma removido cirurgicamente, mas enfrentavam alto risco de o câncer retornar.

Com informações do Canaltech e The Harvard News, todos os participantes do estudo receberam a vacina experimental chamada de Neovax e os resultados foram promissores. Ocorreu uma resposta imune induzida pela vacina em todos os indivíduos que, segundo as estatísticas, pode persistir por anos.


A vacina induz o sistema imunológico a criar células antitumorais, que são específicas para cada tumor e cada paciente. Essas células são denominadas do tipo T e nada mais são do que um importante glóbulo branco na corrente sanguínea, que ajuda o sistema imune a combater doenças autoimunes e inflamatórias.

Pesquisadores do Instituto de câncer Dana-Farber, Hospital Brigham and Women’s, Universidade de Harvard e o Broad Institute of Mit foram responsáveis pela condução do trabalho.

Um dos líderes do estudo, professor de medicina da Universidade, Patrick Ott, mencionou que a pesquisa permitiu chegar a novas possibilidades de cura contra tumores específicos, ou seja, essas vacinas serão feitas sob medida para cada paciente, de acordo com o tumor.

Com isso, cada uma será individual e diferente, pois não é um medicamento distribuído em larga escala.


O estudo acompanha um trabalho inicialmente publicado há quatro anos, pela revista Nature. Livres do tumor, os pacientes recebiam as vacinas para evitar que ele voltasse a se manifestar. Dois pacientes obtiveram respostas imunes completas. Eles foram observados e os exames revelaram que as respostas ainda estavam presentes.

O professor disse que é um campo em expansão, pois os estudos estão em andamento. Ele acredita que, em poucos anos, as vacinas estarão disponíveis. O que achou desta descoberta? Comente e compartilhe-a com seus amigos em suas redes sociais!

 

Direitos autorais da imagem de capa: Depositphotos.


Família destruída: mulher perde marido e 5 filhos por Covid-19

Artigo Anterior

Mulher é forçada a vestir blusa larga durante voo, porque consideraram seu decote “obsceno e ofensivo”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.