ColunistasReflexão

A dor não pode passar despercebida, ela precisa ser sentida

A dor não pode

Independente da magnitude da sua dor, ela precisa ser sentida. Não deve ser diminuída ou menosprezada, muito menos ignorada.

Toda dor precisa ser sentida. Não importa se é pequena ou grande; se é resultante de um problema social ou de uma questão puramente pessoal; se é algo que mobiliza metade do mundo ou apenas você.



Se é uma dor, ela precisa ser sentida. Isso porque se não for sentida, passará despercebida.

E o que significa uma dor passar despercebida? Significa que ela foi, de certa forma, “ignorada” ou “colocada embaixo do tapete”.

Em outras palavras: ela continua latejando, lá no fundo, até que um dia qualquer pode voltar e causar o maior rebuliço.

A verdade é que sentir a dor até a última gota é a única maneira de eliminá-la de uma vez por todas.

Se é difícil? Muito. Mas toda dor é feita de sentimentos e sentimentos são feitos justamente para serem sentidos.


Temos essa tendência de querer fugir do que nos causa angústia e tristeza, mas a verdade é que muitas vezes essa é a porta que nos leva para novos caminhos. E novos caminhos significam um crescimento pessoal importante durante a vida.

Por isso digo e repito: independente da magnitude da sua dor, ela precisa ser sentida. Não deve ser diminuída ou menosprezada, muito menos ignorada.


Só porque não está relacionada à pobreza na Somália, não significa que não seja digna de ser sentida.

Afinal, toda dor tem o direito de ser doída. Toda dor tem o direito de ser sentida. A única coisa que ela não tem o direito é de passar despercebida.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf / lanarusfoto


Não permita que o comportamento do outro determine o seu comportamento

Artigo Anterior

O prazer de estar apenas em sua própria companhia

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.