A última carta de amor

5min. de leitura

Às vezes, eu me pergunto se o verdadeiro amor acontece uma única vez e quando ele chega não valorizamos, não conseguimos enxergar e seguimos por estradas vazias que não levam a nenhum lugar.

Nem sempre estamos preparados para receber algo tão bom que o universo nos enviou, nesse processo pode ser incluso a falta de maturidade, a falta de crença ou até mesmo a falta de capacidade em acreditar que algo tão extraordinário está ao nosso lado.



Você se afasta desse amor, conhece outras pessoas, novas experiências, não sabe diferenciar qualidade de quantidade, até o momento que os anos passam, você amadurece, aprende com seus próprios erros e tenta de toda forma positiva recuperar o verdadeiro amor, reconhecendo suas fraquezas e assumindo de fato o quanto naquela época você agiu sem maturidade, deixando marcas profundas difíceis de cicatrizar no verdadeiro amor, na pessoa que sempre esteve ao seu lado, sempre lhe apoiando e ajudando a crescer.

Quando tudo dava errado em sua vida, ela era a única pessoa que estava ao seu lado segurando sua mão

Quando tudo parecia que não tinha solução, ela o ajudava a contornar para não cair no precipício, e o melhor, não exigia nada de você, apenas mostrava que seu ombro estava ali sempre presente.

Sim, pode parecer loucura, muitos anos se passaram e você admira cada detalhe, cada curva, cada sorriso de quem você nunca havia valorizado, o sentimento vai sufocando, até os erros dela são lindos, você não critica, entende e percebe que, mesmo com tantos erros, ela é a pessoa que você gostaria de cuidar a vida inteira, afinal todos somos imperfeitos buscando melhorar a cada dia.


Você propõe uma conversa, deixa todas as armas de lado, tira a roupa da sua alma e se mostra de verdade, o que você é em essência, além de se desculpar por todos os erros cometidos, aliás, com o tempo aprendi a pensar assim: melhor conversar e expor tudo, porém, tendo a consciência que o resultado pode não ser agradável, mas só dialogando que podemos saber.

A tentativa do diálogo foi perfeita, aproximamos ainda mais, fortaleceu a amizade, sendo que a possibilidade de recomeçar aquele amor não foi bem-sucedida, pois não depende só de você, envolve duas pessoas, dois corações, dois pensamentos, cicatrizes e o longo tempo que passou.

Mesmo assim, você continua tentando de uma forma sábia, sutil e por mais infantil que pareça ser essa atitude, você resolve escrever aquela última carta de amor, com o objetivo de reconquistar.


A última carta de amor termina com uma simples frase: Aprendi a deixar “DEUS SER DEUS” e o futuro a ele pertence.

Conclusão: nunca é tarde para reconquistar quem você ama, exponha seus sentimentos, pois se expor não é se humilhar, é reconhecer que você é humano, comete erros e pode se arrepender.

O resultado da última carta de amor pode não ser o que você esperava, porém, posso afirmar que a paz interior que você sentirá ao se revelar fortalecerá seus passos, não o sufocará mais.

Siga em frente, não se culpe, confie em você!

Viva cada segundo, cada momento e cada oportunidade, entregue ao UNIVERSO e deixe Deus ser Deus. Não exija que as coisas aconteçam no tempo que você quer, aprenda a esperar e respeitar o tempo certo que está preparado para você, mesmo que esse tempo pareça muito longo.

Algumas estradas no amor podem se cruzar novamente, já outras estradas levam para novos caminhos, novos horizontes, novas perspectivas.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: creativefamily

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.