3min. de leitura

Acumule bons momentos e não bens materiais

Acumule bons momentos e que cada uma deles represente um selo deixado no tempo que não volta, mas que poderá ser lembrado e revivido no coração.


Neste planeta aparentemente tão material, a primeira impressão que se tem é que deveremos acumular bens para nos mantermos confortáveis e seguros, contudo, com o passar do tempo, percebemos que acumular bens materiais poderá ser algo impeditivo para que possamos melhor enxergar a essência humana, que vem d’alma, que vem mais do ser do que do ter.

Trabalhamos para sobreviver, trabalhamos para enriquecer, e essa rotina acaba entorpecendo o nosso sentido real de vida e escurecendo a visão que deverá estar voltada, principalmente, para os valores imateriais, os momentos que não se apagam, as alegrias que se eternizam, os abraços que não merecem ser desenlaçados, os sorrisos que devem ser eternizados, enfim, para o que verdadeiramente tem valor.

Priorizar o que não se enxerga, mas o que se sente

Assim, deveremos sim, trabalhar para que possamos ter uma vida confortável e poderemos oferecer o mesmo para aqueles que de nós dependem, mas, acima de tudo, deveremos priorizar o que não se enxerga, mas o que se sente. Que sejamos a causa dos bons momentos da vida, que sejamos um bom momento na vida de alguém, que possamos residir no melhor das memórias, que possamos deixar rastros que mereçam ser seguidos pela posteridade, que possamos deixar o melhor de nós, mesmo aqueles que não deram o seu melhor para nós, afinal o amor deve ser incondicional, sem medidas, sem que se espere retribuição.


Acumulemos bons momentos e que eles possam ser rememorados nos períodos em que estivermos atravessando tempestades; acumulemos felizes momentos, para que possamos sorrir, quando o nosso coração estiver propenso a libertar lágrimas; que sejamos um arquivo com todas as letras do alfabeto e que cada uma delas represente um selo deixado no tempo que não volta, mas que poderá ser lembrado e revivido no coração.

Acumule bons momentos e não bens materiais!

 

Inspiração: “Enigma – Todo começo tem um fim”, de minha autoria. Ed. Letras do Pensamento.


 

Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Amor: 123RF Imagens.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.