Aprendi a não pagar o mal com o mal, me decido pelo bem sempre!

4min. de leitura

Eu não pago o mal com o mal, porque o mal pode se achar vencedor temporariamente. Eu me decido pelo bem sempre!



Eu aprendi muita coisa na minha vida. A não ser falsa, a não ser explorada por ninguém, a não ser válvula de escape nem opção. Aprendi a não querer derrubar o próximo, a não humilhar, a não rebaixar, a não explorar sentimentos em troca de benefícios pessoais.

Não sou santa, mas pelo menos tenho diminuído minha lista de dívidas. Aliás, meu santo nem sempre bate com o de outra pessoa; eu sempre tenho uma intuição que me guia e me alerta, deve ser porque aprendi a conversar com minha alma. E isso não é loucura.

Instintivamente, atravesso para o outro lado da rua, quando não quero conflito. Aprendi a não aceitar tapinha nas costas nem situações de constrangimento. Não acho bonito pessoas que se divertem à custa de outras e machucam por prazer.


A evolução de cada pessoa depende do que ela quer para sua vida, depende como ela quer ser tratada e como pretende tratar outro ser humano.

Já vi muita gente se estatelando por conta de mentiras e atitudes levianas. Quem acha que sempre vai se dar bem se esquece da lei do retorno, das voltas que a vida dá, esquece-se de que nada fica impune.

Eu aprendi convivendo, muitas vezes, com as cobranças da vida, com as constantes instabilidades emocionais, com a psicopatia de gente que sempre fazia com que eu me sentisse a bruxa malvada, a incompreensível, a vilã da história.

Eu não pago o mal com o mal, porque o mal pode se achar vencedor temporariamente. Eu me decido pelo bem sempre!


Eu aprendi ao olhar a janela aberta, ao sentir a tempestade se aproximando, ao sentir a visão do meu mundo interior escurecer. Busquei claridade, busquei esperança, busquei abrigo em Deus. Optei por sentir o sol meio tímido pela manhã, optei por me calar para não me desgastar. Eu aprendi muita coisa nesse meio-tempo, nesse ir e voltar.

Já não sou tão remexida nem me abalo por questões que me fizeram romper com as vivências de alguns sentimentos.

Tenho acertado as contas com meu coração, tenho me limitado a não aceitar gente invasiva e sem caráter.

A vida começa quando a gente para de agradar aos outros, para de tanto lamento, para de procrastinar, para de idolatrar quem não está nem aí. Foi assim que cresci.

Quem ama grande não sonha pequeno. Demorei, mas aprendi!

 

Direitos autorais da imagem de capa: willsantt/Pexels.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

* Matéria atualizada em 21/02/2020 às 4:36






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.