publicidade

Aquilo que foi dito e aquilo que foi compreendido…

É muito comum, nas nossas relações, ao discordarmos de alguém, não discordarmos do que a pessoa falou, mas daquilo que o nosso nível de consciência conseguiu interpretar daquilo que a pessoa falou.



Em geral, não ouvimos verdadeiramente os outros, pois estamos brigando e projetando nossos próprios fantasmas internos nos outros.

Para ouvir de verdade é preciso se conhecer, meditar, silenciar o ego.

Na maioria das vezes, não fazemos isso, apenas projetamos nossas crenças naquilo que foi dito e distorcemos completamente o que foi falado.

Esse problema piora quando o comunicador não é claro ao falar e dá margem à ambiguidade.

Entretanto, muitas vezes, o comunicador é muito claro, didático, exemplifica, desenha e ainda assim há quem interprete errado, porque o nível de consciência dessa pessoa não alcança aquela explicação, naquele momento. E tudo bem, cada um está fazendo o melhor que pode.


O importante é o comunicador continuar se expressando de forma clara e empática, independente das possíveis interpretações que poderão surgir. Afinal, não há como se controlar o que outras pessoas irão interpretar já que vivemos num mundo de consciências heterogêneas.

As pessoas sempre vão entender o que quiserem daquilo que foi dito. Quem vai entender aquilo que é, será apenas aquele que, de fato, será capaz de ouvir o outro de coração aberto, sem projetar suas questões pessoais no que foi dito, com profunda empatia e conexão.

É nesse momento que um diálogo, e não uma disputa intelectual, acontece.


O foco, nesses casos, é na cooperação, no aprendizado mútuo e não na imposição de ideias.

Com amor, leveza e alegria,

Gisela Vallin

_________

Direitos autorais da imagem de capa: rafaelbenari / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Amor e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Amor. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.