As pessoas machucadas, às vezes, são vistas como mal educadas. Mas todos passamos por tribulações.

4min. de leitura

Indo ao mercado, ao encontrar com uma vizinha, eu a cumprimentei. A resposta que tive foi um silencioso vácuo.



A princípio, fiquei pensativa. Questionei-me sobre o porquê de tal atitude, sendo que ela é tia de uma conhecida, que, diga-se de passagem, brincava comigo na infância.

Durante o trajeto, refleti tal atitude. Minha consciência está limpa. Sempre tratei os familiares de minha conhecida bem. Contudo, descobri que o problema não está em mim, muito menos nela.

Às vezes, as pessoas estão com algum tipo de problema, e não sabemos. E tais acontecidos, impulsionam esse tipo de atitude. Quem somos nós para julgarmos as pessoas?

O importante, é fazermos nossa parte, e compreender que as pessoas enfrentam fantasmas internos, e só elas têm o poder de lidar com isso. Cada um lida com seus dissabores da forma que achar melhor.


Uma vez, fui à igreja, e o irmão abriu a oportunidade para os testemunhos. Um moço testemunhou e contou uma história que aconteceu com ele.  Ele disse que estava no estacionamento onde trabalhava, e um rapaz chegou para guardar o carro. Diariamente, ele frequentava o local. Um certo dia, o irmão que testemunhou, notou que esse rapaz estava sempre de cara fechada, quieto. Então, o irmão foi cumprimentá-lo, e ficou no vácuo.

Na hora, ele não entendeu o motivo do silêncio, apenas respeitou.

No dia seguinte, fez a mesma coisa. Ele o cumprimentou. E como no dia anterior, recebeu o silêncio como resposta.


E o irmão não desistiu. Tentou mais uma vez. Finalmente, o moço se abriu.

Disse que estava muito triste porque sua mãe estava doente, e não sabia mais o que fazer. Ela dependia do filho para tudo, inclusive, para tomar banho. O irmão perguntou a ele se ele frequentava algum tipo de igreja. Imediatamente, o rapaz disse que não.

Por sua vez, o irmão sentiu em seu coração que precisava fazer algo. Então, ele começou a falar a palavra de Deus para ele e o convidou para conhecer a igreja onde frequentava. O rapaz aceitou o convite.

Após algum tempo frequentando a igreja, o rapaz disse ao irmão que sua mãe havia melhorado, e pediu desculpas ao moço por tê-lo ignorado da primeira vez.

O irmão ficou tão feliz, que foi à igreja compartilhar com os demais irmãos a obra que o Senhor fez. Além da melhora de sua mãe, o rapaz foi batizado.

Às vezes as pessoas só precisam de um coração puro que esteja pronto para compreender que todos nós passamos por tribulações.

Respeitar o momento das pessoas sem julgá-las, é estar em paz consigo mesmo.

______________

 

Direitos autorais da imagem de capa: tommaso79 / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

* Matéria atualizada em 02/01/2018 às 4:29






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.