As princesas atuais estão aí, bem ao seu lado!

Faz tempo que não se fala tanto em príncipes e princesas… Walt Disney, onde quer que esteja, deve estar bem feliz com a lembrança!

Quem nasceu nos anos 90, ou antes, pode se considerar conhecedora (especialista) em contos de fada… Branca de Neve e os 7 anões, A Bela e a Fera, A Bela Adormecida, Rapunzel, entre outros.

Neles, aprendemos bem o quanto precisávamos do nosso príncipe encantado salvador para chegar ao final feliz.

Quantas e quantas mulheres associaram sua felicidade à ideia de família. Quantas começaram a se desesperar enquanto suas amigas se casavam e elas se viam sozinhas.

Quantas se casavam porque era isso que a sociedade e suas famílias esperavam delas!

Apenas recentemente começamos a ver princesas que se isolavam para poder ser elas mesmas e viverem sua verdade como a Moana, que queriam se aventurar e desbravar o mundo, como a Elsa, que queria, simplesmente, usar o seu poder para serem o melhor ser humano que pudesse ajudando o próximo, e como Elena de Avalor.

Hoje, as meninas têm a possibilidade de entender que podem ser a princesa que busca o príncipe encantado, podem ser a princesa que não quer se casar com o príncipe, podem ser a fada madrinha e até mesmo o gênio da lâmpada.

Hoje, elas crescem entendendo que a ideia de felicidade pode estar associada à formação da família, à profissão, a ajudar o próximo, ou, até mesmo, apenas serem quem são.

Passaram a compreender que rainha mesmo é aquela mãe solteira que sai de casa de manhã e só volta à noite porque estava trabalhando para dar um futuro melhor para seus filhos.

Sabem que um amor pode fazer muito bem, mas é o conhecimento que as leva longe…

E como faz bem viver em um mundo cheio de possibilidades!

Que bom que evoluímos! E que bom que ainda temos tanto a evoluir! A vida seria muito sem graça se já tivéssemos alcançado tudo o que temos a capacidade de alcançar.

Que continuemos olhando para frente, sem nos esquecer de onde viemos!





Deixe seu comentário