Às vezes, o melhor remédio não é um antibiótico para o corpo, é paz para alma!

7min. de leitura

Não é só o corpo que adoece. A alma também precisa de cuidados e checkup periódico.



Na maioria das vezes, quando o corpo adoece é mais fácil tratá-lo, com os diagnósticos corretos e o avanço da medicina, conseguimos bons resultados e causas precisas através dos sintomas. Mas e quando é alma que está enferma? Como se dá o diagnóstico? Quais são os sintomas? Hoje em dia qualquer “enfermidade” da alma é chamada de depressão e ganha status de “transtorno”.

Prescrevem-nos remédios controlados, para inibir as vontades, para induzir o sono, para diminuir o sono, para se acalmar, para se ter disposição… mas em grande parte destes processos, não é de remédios que precisamos. Ou melhor, é de outro tipo de tratamento que precisamos.

A grande maioria das pessoas com quem eu convivo estão com suas forças esgotadas, ou seja, almas adoecidas. “Eu preciso procurar uma terapia… eu preciso voltar a tomar meus remédios.”


Eu sempre digo a elas: “Vocês precisam de tempo.”

Mas como conseguir tempo, se usamos todo tempo que temos disponível correndo atrás de dinheiro para um dia, poder usufruir do tempo? Como “desperdiçar” tempo se justamente estamos precisando de MAIS tempo para executar todas as nossas tarefas?

Eu repito: precisamos de tempo! Se não arrumarmos um tempo para descansarmos e para a alma poder se recuperar, o corpo ficará doente e cairemos de cama.

O corpo se recupera do cansaço depois de uma boa noite de sono. A alma não. Ela vai acumulando o cansaço, o desânimo, a tristeza. Tristeza faz parte da essência humana. E nem tudo que aparenta ser tristeza, de fato o é. Quando a alma adoece nós ficamos sem ânimo, ou sonolentos demais ou com insônia, ou agressivos demais ou apáticos. É sempre um extremo. E se não tratarmos, chega uma hora que fica insuportável habitar em nós mesmos.


O primeiro passo para um diagnóstico bom é silenciar o exterior para ouvir o interior. E leve isso ao pé da letra. Você precisa de um lugar calmo, em silêncio, para poder ouvir a sua alma. Precisa sair do estresse da rotina e desligar seu piloto automático (e o seu despertador).

Você precisa se distanciar de pessoas conflitantes, dar um ponto final em relações conturbadas. Você precisa voltar a sentir o sabor da comida e o prazer em se fazer uma refeição sem pressa. Você precisa dormir a hora que tiver sono, sabendo que não tem que acordar muito antes do horário desejado no dia seguinte.

Isso é um luxo! Quando eu for rico farei isso.

Se você não arrumar um tempo para fazer isso o mais breve possível, você não conseguirá ficar rico, sinto lhe dizer. Pois uma mente exausta e uma alma doente não darão a você o êxito necessário para chegar ao lugar que tanto almeja. Se você não cuidar do seu hoje, não haverá amanhã.

E olha, deixe eu lhe dizer, você não precisa largar a sua família e correr para o meio do mato ou um spa cinco estrelas, é possível, embora complicado, conseguir um pouco de tempo para si em meio às atribulações do dia a dia. Você vai precisar de boa vontade e disciplina.

Por exemplo: experimente deitar mais cedo num sábado e levantar mais cedo no domingo, indo, justamente, ao contrário do ímpeto que é “dormir o máximo que puder”, pois nem sempre a quantidade de horas dormidas é suficiente para descansar, a qualidade do sono é muito mais importante, e o sono durante o dia não é reparador como o da noite, então, ficar na cama o dia todo pode dar a você aquela sensação de moleza, de mal-estar e induzir erroneamente a produção natural de melatonina, fazendo com que você passe o dia todo sonolento e sem pique para nada.

Nossa alma precisa de ar fresco, de vitamina D proveniente do Sol, de alimentos que contenham aconchego, como comida caseira, comida de mãe e bolo de vó. Pequenas mudanças nos nossos hábitos impactam profundamente nas nossas vidas.

Porque nem sempre é possível mudar de emprego, mudar de cidade, mudar de casa, mas é sempre possível mudarmos nosso ângulo de visão. Encontrar maneiras do nosso emprego ficar mais aceitável, da cidade ficar menos hostil e da nossa casa ficar mais acolhedora. Na maior parte das vezes tais mudanças sutis só dependem de nós.

Acorde cedo no domingo e vá tomar um belo café da manhã na padaria, ou coloque um som relaxante e faça um bolo com café fresquinho. Tome um banho demorado e não force a sua mente a nada nesse dia. Nem com assuntos do trabalho, nem com questões familiares. Mas se quiser, comece a ler o livro que seu amigo lhe emprestou a meses e você não leu nem a contracapa. Estabeleça pequenas metas pessoais para a semana, como: terminar de ler o livro; escutar toda a playlist do John Mayer ou se dar uma flor de presente. Podem parecer gestos bobos, mas acredite, são poderosas alavancas para tratar a alma.

Com carinho e leveza, sem pressa ou culpa. Uma hora por dia, para fazer o que você quiser, incluindo nada, já nos melhora consideravelmente.

Tirar um tempo para o “nada” é absolutamente vital. Fazer nada é importantíssimo para a saúde mental e equilíbrio espiritual.

Às vezes, no aparente “ócio”, não existe tanta inércia, quanto pensamos.

Dê-se uma trégua, dê-se um tempo!

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.