Até que ponto você realmente se ama?

O fato é que o amor que tanto desejamos, o carinho que tanto ansiamos, já existe dentro de nós.

A cada dia que passa mais eu me convenço de que o amor que tanto procuramos não é, de fato, descoberto porque estamos perdidos em meio a uma falsa ideia de que podemos encontrá-lo em outras pessoas e lugares

O fato é que o amor que tanto desejamos, o carinho que tanto ansiamos, já existe dentro de nós.

Parece clichê, mas a verdade é que no momento que aprendemos a sermos felizes com a gente mesmo é que conseguimos ser felizes com outro alguém.

E essa é a grande chave que abrirá portas para os relacionamentos mais incríveis da sua vida.

Ao invés de gastar toda sua energia praticamente implorando por um pouco mais de atenção, opte por questionar-se em que medida você se dá a devida atenção.

Quanto carinho você dá a si mesmo(a)? Até que ponto você realmente se ama?

Ora, se nem você mesmo é capaz de se aceitar, respeitar e amar, como exigir que outra pessoa o faça?

Quem não se ama o bastante acaba criando a ilusão que o outro será capaz de preencher o vazio que tanto lhe incomoda e, assim, segue se decepcionando porque não importa o que o outro faça, sempre se sentirá em falta.

E nos sentimos em falta porque, na realidade, estamos ausentes de nós mesmos.

A verdade é que somente quando somos completos conseguimos amar alguém em profundidade e ser igualmente amados.

Relacionamentos devem ser sinônimo de crescimento mútuo, e só cresce quem é maduro o suficiente para aceitar seus próprios defeitos com delicadeza e sabedoria para, enfim, aprender com o outro a encarar novas formas de enxergar o mundo e se transformar em alguém melhor.

Acredito que o amor verdadeiro ocorre quando ambos se reconhecem como seres completos, capazes de criar um mundo totalmente novo a dois.

Você reclama que o outro lhe faz milhares de críticas desnecessárias que o fazem sentir-se inferior e eu lhe pergunto, quais são os momentos que você realmente se elogia?

Quantas vezes por dia você é capaz de sentir verdadeiro orgulho por si e por tudo o que é capaz de fazer?

Ou você também se cobra e se pune por todos os erros cometidos?

Se nem você aceita que pode errar, como esperar que os outros aceitem?

A verdade é que nós somos os nossos maiores carrascos. Então, eu o convido a se aceitar com um pouco mais de empatia e compaixão.

Todos somos humanos repletos de defeitos e limitações, e o que nos difere uns dos outros é a nossa capacidade de superar os obstáculos e aprender a ser alguém melhor.

Acredito no amor que agrega e não que completa. Acredito em amores que agregam conhecimentos, novas formas de enxergar a vida, novos rumos.

Acredito naquele amor que é capaz de despertar em você o seu melhor lado e transformá-lo em sua melhor versão. Naquele amor que é capaz de te tirar da zona de conforto para mostrar que existe uma infinidade de oportunidades para se viver. E que a vida pode ser mais leve.

Experimente amar-se, aceitar-se, respeitar-se e perceba a delícia de viver em verdadeira plenitude.

E quando sentir-se realmente feliz e satisfeito consigo mesmo, perceberá que todas as outras pessoas passarão a olhá-lo e a tratá-lo de uma nova maneira, muito mais gentil e amorosa.

Sinta-se amado e será amado. Sinta-se desejado e será desejado. Sinta-se a pessoa mais feliz do mundo e será feliz.

Sinta orgulho de si mesmo e a vida lhe dará cada vez mais motivos para se orgulhar.

Sinta-se lindo e atrairá cada vez mais elogios para sua vida. Sinta-se alguém digno de respeito e será respeitado. Somos todos feito espelhos uns dos outros.


Direitos autorais da imagem e capa: wall.alphacoders / 792950




Deixe seu comentário