Coisas que você precisa saber sobre a arte de deixar ir…

9min. de leitura

Eu seria facilmente um cavalo teimoso, marrento e indomável de uma parábola de Jesus, um animal que passou anos resistindo, até enfim se render.



Saber quando se render é uma das lições mais difíceis, porque ela é facilmente confundida com desistência. Rendição é reconhecimento e inteligência, enquanto desistência pode ser fraqueza ou desinteresse.

Deixar para lá é um território que faz fronteira entre ser o senhor do próprio destino e decidir o que, como, quando e onde vai ser, aberto para a possibilidade de nada daquilo acontecer e, mesmo assim, estar tudo bem. Em outras palavras, fazer planos, desejos e pedidos, e não sofrer, caso não saiam como esperado.

Literalmente 100% dos planos que eu e uma amiga fizemos foram concretizados nos últimos meses, desde coisas pequenas e corriqueiras até maiores e significativas. A maioria deles não passou de uma observação despretensiosa, como “não seria bom se tal coisa acontecesse?” ou “já pensou se…”. E aconteceram. Todas. Algumas delas foram tão surpreendentes que passamos horas em estado de êxtase e encantamento de tão utópicas que pareciam ser.


Uma frase de que gosto muito para situações assim é: “Eu estou aberto para a possibilidade de…”

Muitas vezes, nós nos fechamos para determinadas situações, porque nos parecem difíceis ou improváveis. Estar aberto para a possibilidade de aquilo acontecer nos tira de uma posição de bloqueio e nos leva para alguma receptividade. Parece pequeno, mas incontáveis ensinamentos espirituais nos mostram que um pequeno ponto de partida é o bastante.

Nós conversamos bastante sobre os acontecimentos e também sobre escolhas, rotinas e outras coisas mais.

Eis um top 5 de motivos que descobrimos terem sido importantes para esses alinhamentos:


1. Espaço para armazenamento insuficiente

Se você percebe a vida como energias, experimente jogar coisas (presentes, ursos, roupas, alimentos e medicamentos vencidos, etc.) fora, e também apagar conversas, históricos, prints e fotos.

A energia que flui de “A” (fonte) para “B” (você) precisa encontrar o caminho livre para trazer novos ares. Acumular energias do passado bloqueia o caminho e, em vez de lhe trazer pessoas e situações novas, traz mais do mesmo. Às vezes, as pessoas e os lugares até são outros, mas a situação é igual.

Serve também para desfazer amizades nas redes sociais – deixar de seguir, excluir contatos, etc. Não que as relações sejam descartáveis, mas se são só entulhos, para que acumulá-las? Você pode fazer essas análises e decidir por si só.

O objetivo é fazer as coisas fluírem, para isso algumas precisam sair para que outras possam entrar. Tome cuidado com a autossabotagem e seja sincero consigo mesmo. “Precisar” e “querer” podem ser coisas diferentes. Cuidado!


2. Provocações

Nós amamos sentir-nos importantes. É gostosinho quando alguém nos demonstra aquele ciúme “saudável”, quando mostra que nos quer e tem medo de nos perder.

Às vezes, a gente cria situações para provocar ciúme em determinada pessoa, mas não consegue. Essa energia tem um quê de mentira, de forçado, de não natural, de perda, insegurança, dúvida e medo. Não trabalhe com ela. A internet está cheia de conteúdos excelentes para atrair seu crush, ou seja lá quem ou o que for. Comece a trabalhar com energia de amor, segurança, confiança, você vai notar que as pessoas ao seu redor, inclusive aquela, vão tratar você de maneira que lhe dê segurança e certezas, em vez de dúvidas, que podem gerar ansiedade.


3. Um passo à frente

Eu não sei de onde a gente tirou a ideia de que o outro tem de adivinhar o que estamos pensando e sentindo. Se bem que, às vezes, cansa ter de falar o óbvio, pois queremos que o outro se importe o bastante conosco para prestar atenção, interessar-se e descobrir o que precisamos e queremos. Mas simplifique a vida: expresse-se! Expresse suas dores, seus medos, seus amores, sua gratidão. Não deixe que o outro vá embora sem saber da real importância que ele tem.

Mesmo se ele for embora, pelo menos você falou, não ficou com aquilo preso dentro de si. É melhor estar livre e de consciência tranquila a estar com alguém (sem estar) e cheia de dúvidas e “e se?”.

É arriscado mesmo! Você corre sim o risco de se abrir e a pessoa não se importar. Mas e daí? Isso não faz de você uma pessoa ruim, pelo contrário, se a pessoa não deu valor ao que você tem de melhor, ela não o merece, não é para você. Vá atrás de quem lhe dá aquilo que você merece. Chega de mendigar migalhas e restos.

E eu espero muito que você tenha este prazer: às vezes, um comentário seu, um elogio, uma declaração transforma completamente a vida de alguém, resgata-lhe a autoestima, gera confiança, otimismo, esperança etc. Às vezes, você é o que mantém a pessoa aqui (viva), com vontade de viver! Expresse-se.


4. Focar nas coisas boas

Eu não sei de onde a gente tirou a ideia de que o outro tem de adivinhar o que estamos pensando e sentindo. Se bem que, às vezes, cansa ter de falar o óbvio, pois queremos que o outro se importe o bastante conosco para prestar atenção, interessar-se e descobrir o que precisamos e queremos. Mas simplifique a vida: expresse-se! Expresse suas dores, seus medos, seus amores, sua gratidão. Não deixe que o outro vá embora sem saber da real importância que ele tem.

Mesmo se ele for embora, pelo menos você falou, não ficou com aquilo preso dentro de si. É melhor estar livre e de consciência tranquila a estar com alguém (sem estar) e cheia de dúvidas e “e se?”.

É arriscado mesmo! Você corre sim o risco de se abrir e a pessoa não se importar. Mas e daí? Isso não faz de você uma pessoa ruim, pelo contrário, se a pessoa não deu valor ao que você tem de melhor, ela não o merece, não é para você. Vá atrás de quem lhe dá aquilo que você merece. Chega de mendigar migalhas e restos.

E eu espero muito que você tenha este prazer: às vezes, um comentário seu, um elogio, uma declaração transforma completamente a vida de alguém, resgata-lhe a autoestima, gera confiança, otimismo, esperança etc. Às vezes, você é o que mantém a pessoa aqui (viva), com vontade de viver! Expresse-se.


4. Focar nas coisas boas

Não se deixe para depois! Comece a dieta agora, o estudo agora, a meditação agora. Deixar para depois tem energia de “não sou importante”“eu posso esperar”, e as pessoas e situações vão responder a essa energia, deixando você sempre para depois. Então esteja em dia com suas vacinas, honre seus compromissos, dedique-se a fazer com que tudo esteja em dia, tanto as contas quanto a validade dos documentos. Seja sua prioridade.

Nunca pare de se cuidar. Não é porque você conseguiu o que queria que pode deixar de cuidar de si porque, quando você relaxa, gera uma energia de “não precisa mais”, e volta a ser como antes.

Você não se cuida para ter um resultado positivo, você se cuida para ter uma vida maravilhosa.

 

Direitos autorais da imagem de capa: Allef Vinicius/Unsplash.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

* Matéria atualizada em 14/12/2019 às 10:58






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.