publicidade

Coisas vêm e vão, pessoas vêm e ficam. Que sejamos agradecidos pelas relações e não pelos tostões!

A vida hoje em dia é uma eterna e incessante busca por algo que ainda não se tem, e precisamos mudar isto!

Queremos desesperadamente uma coisa e, quando finalmente a conseguimos, passamos a querer a próxima, e assim continuamos no ciclo vicioso de não nos contentar com o que é nosso.



Reclamamos, fazemo-noss de vítimas, indagamos o motivo de muitos terem tanto e não serem boas pessoas, ao mesmo tempo que nós, tão bons e puros, conseguimos tão pouco!

Será que somos realmente tão bons assim?

Será que somos agradecidos pela abastança? Ou será que estamos no jogo do não contentar-se?

Estamos vivendo para conseguir o que ainda não é nosso ou agradecemos pelo que já conquistamos?

O fato é que cada um de nós nutre ou já nutriu, ao menos uma vez na vida um perigoso sentimento de ingratidão e sente ou já sentiu inveja.  Todos nós dizemos  vítimas de invejosos, vítimas de sugadores de energias, mas nunca admitimos que também somos ou já fomos o lobos maus, algum dia.


Nós cometemos o grande equívoco de aprender a ser ingratos.  Nunca se está satisfeito com o que já tem. Já parou para pensar nisso?

Se estamos com cabelos cacheados, queremos o liso, se alisamos, sentimos saudade dos cachos; compramos uma moto, queremos um carro, conseguimos o carro e logo queremos outro melhor; sapatos nunca são suficientes, podemos ter dez, mas já desejamos o décimo primeiro.

Frustrando-nos e nos maldizemos se não conseguimos algo, esquecemos de lembrar a tortura que era usar transporte público ou andar descalços.


O menino em terra firme que observa um avião alçando vôo, anseia por voar, mas seu piloto, que todos os dias o faz, sonha em voltar para casa e pousar seus pés no doce lar.

Somos seres ingratos por natureza. Ou esquecem que Adão e Eva tinham o paraíso, mas não satisfeitos, precisaram provar do único fruto proibido em meio a um universo de permissões?

O que não temos nos atrai e nos move, o que já temos, muitas vezes, é esquecido.

Vivemos um vazio existencial doentio e preocupante.  Que precisa ser alimentado com coisas e mais coisas, quando, na verdade, só será preenchido por Ele (o criador) e por nós (as criaturas).

Vida vazia é alma vazia, pessoa precisa de pessoa para viver. Ninguém consegue se bastar e se completar e se virar sozinho, é preciso de companhia sim. De amigos. De família. Gente precisa de gente para aprender ser gente, perdoem-me a redundância, mas na realidade nua e crua é isto mesmo!

Coisas vêm e vão, pessoas vêm e ficam. Marcam. Eternizam.  Que amemos pessoas, não coisas, que sejamos agradecidos pelas relações e não pelos tostões!

_______________

Direitos autorais da imagem de capa: ninamalyna / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Amor e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Amor. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.