6min. de leitura

Conexão de almas: fisicamente conectados, espiritual e emocionalmente interligados!

Conexão profunda na relação amorosa. Você tem?


Quando nos relacionamos com as pessoas, empatia e facilidade em se expressar são pontos-chave para boas relações.

No amor, tudo isso é importante, mas não basta, e além da química, é necessária uma conexão mais profunda, se desejamos que seja duradouro.

Relações tóxicas

Hoje, muitas pessoas buscam relacionamentos duradouros ofertando emoções rasas e descaso com o que o outro também precisa para se sentir pleno e feliz. Preocupam-se mais consigo mesmas e em satisfazer suas necessidades primárias, sem levar em conta que, do outro lado, igualmente, pulsa um coração. São as chamadas relações tóxicas e abusivas.


Se você já passou por uma experiência assim, sabe do que estou falando, não é mesmo? São relações desgastantes em que o abuso nem sempre se constitui agressão física (havendo agressão física, recomendo que pegue seu espelho, olhe a pessoa linda que você é e diga adeus a esse relacionamento. Nesse nível, não há o que pensar. Ame-se e liberte-se!).

Mas, não é só agressão física que determina se um relacionamento é tóxico e abusivo, há muitas maneiras e graus de toxicidade relacional. Podemos exemplificar com os casos em que uma das partes quer dominar e determinar os passos da outra, escolhendo onde, quando e com quem deve se comunicar e, por vezes, até como deve se vestir ou se portar. Há também acontecimentos em que se lançam piadas pejorativas (desagradáveis e que geram desconforto), palavras ofensivas ou palavrões. Há ainda situações em que a desconfiança generalizada toma conta da pessoa a ponto de vasculhar celular, e-mails, aplicativos e contas virtuais ou redes sociais, e mesmo que nada seja encontrado, as brigas e discussões passam a ser parte do dia a dia, o que, em muitas situações, ocasiona rupturas.

Pessoas não nasceram para viver sozinhas, necessitamos umas das outras, mas o problema da necessidade é quando ultrapassa os limites do que é saudável e se acorrenta ao apego.


O apego aprisiona, faz com que não se viva mais a própria vida, pois o centro das atenções pertence ao outro e, nesse momento, a pessoa se anula, e se você se anula, você se perde e enfraquece. Então, o que era feito na tentativa de elevar o outro com demonstrações exageradas de afeto, em vez de passar sensação de amor e cuidado, deixa uma marca estranha de ilusão e desinteresse, pois tais ações estão vinculadas ao apego que, por sua vez, vem do ego. Não é à toa que o ego até mora na palavra apego. Percebeu?

Há outros relacionamentos que até duram um tempo, mas somente o tempo suficiente para se perceber que o que se tinha já foi aprendido e é chegada a hora de seguir em frente. Essas relações produzem traumas menos doloridos, pois, geralmente, há certo entendimento entre as partes.

Conexão de almas

No entanto, existe um tipo que todos buscam durante a vida, mesmo aqueles que se encaixam nos padrões descritos anteriormente, trata-se da conexão de almas (fisicamente conectados; espiritual e emocionalmente interligados). Aqui, a química e o emocional andam de mãos dadas, é uma experiência eletrizante que percorre e revigora as células, é alimento para a alma!

Nesse nível, se a pessoa tem dúvida do que sente ou tenta deixar de lado esse sentimento, a trindade (corpo, alma e espírito) reclama. Não há outra pessoa que preencha e se encaixe da forma que o coração precisa e a alma deseja, ou seja, essa conexão é bombástica e poucos são os sortudos que a possuem…

Por certo, se você tiver a sorte de sentir essa conexão, valorize o relacionamento e seja grato pela oportunidade. Relações assim tendem a ser duradouras, daquelas que podem permanecer até o último suspiro ou para além da vida (aqui podemos encaixar a questão das almas gêmeas).

Como disse Bert Hellinger, terapeuta alemão e criador das constelações familiares: “É bem simples para um casal. Quando se olham nos olhos, realmente se olham nos olhos, veem somente a alma. Quando as almas se encontram, é possível o amor.”

Podemos, nessas linhas, compreender mais facilmente o motivo pelo qual o ser humano sempre está em busca do amor. É o buscador que só para quando encontra o amor de alma.

E você, já vivenciou essa conexão profunda? Já encontrou seu amor de alma?

Buscamos nos completar no oposto complementar; na dualidade, existe a força. De dois, somos um! Que o amor existente em nós seja tão abundante que transborde no outro, e vice-versa! Felizes conexões de alma!

 

Direitos autorais da imagem de capa: Sharon Mccutcheon/Unsplash.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.