Colunistas

Deus é o repouso perfeito para o meu coração, meu condutor, meu amparo, Ele é tudo para mim!

Deus é o repouso perfeito

Não sou complicada, só não gosto de ser exposta ou prensada na parede.



Tão conturbada eu fui, tantas vezes saí e voltei para dentro da minha mente, tentando me salvar nem sei do quê.

Foi um processo difícil, por vezes lento, o de me colocar sendo dona da minha vida, sendo dona de mim, sendo dona das minhas vontades, sendo dona do meu pedaço de chão, sem que eu tivesse que demarcar até onde pudesse ir.

Eu não nasci para ser a medida exata de ninguém. Eu não nasci para ser escravizada, para ser psicologicamente acuada, para ser serva da vontade alheia.


Os olhos lacrimejaram, mudaram de cor, viajaram dentro de emoções possíveis, sentiram a exposição da alma, sentiram os reflexos do peito.

Eu sei que sou testada constantemente, que sou um instrumento de Deus, sei que aqui por dentro muita coisa transita, e cada coisa que aprendo a colocar no lugar, cada coisa que sinto que já não me atinge me dá o direcionamento certo do equilíbrio interior.

As dores do tempo, os amores que se plantaram em meu coração, os sonhos que ainda não realizei, as decepções de quem percebeu a extensão do mundo por vezes mal e submisso às precariedades de sentimentos e emoções incompatíveis, frustrantes e perturbadoras, deixaram alguns nós de arrependimentos, mas também abriram o caminho para que pudesse me desatar e sorrir.

Por vezes, eu me escondi, me coloquei em segundo plano, estagnei. Ouvi vozes incutindo meus pensamentos e me deixando sempre à deriva de mim mesma.


Colocaram-me, muitas vezes, dentro de situações que não criei, fui exposta ao vexame da rejeição, fui esquecida simplesmente por não ter mais utilidade como pessoa.

Eu cresci sendo submetida, sendo buscada, sendo colocada à prova para que também aprendesse a dar basta, aprendesse a me amar, aprendesse a sair e dizer: chega!

Mente, corpo, espírito. Quando eles adoecem, nada parece fazer muito sentido, tudo parece de repente ruir.

Foi assim que aprendi a me tratar com mais amor, priorizando minhas reais necessidades de vida. Isso não é um relato de uma pessoa infeliz, isso é o relato de quem sobreviveu e conseguiu sair desta redoma prejudicial, de quem entendeu que tudo acontece por alguma razão, mas que ser boba ou capacho para os outros não é saudável, não é agradável, não é caminho de quem busca saúde mental.


Ao acordar e não jogar pedras em meu coração, ao agradecer, ao saber que posso ir com a proteção de algo sagrado, sigo mais confiante, mesmo sabendo que terei que travar muitas batalhas, terei que aprender a respeitar melhor o meu lugar, a minha necessidade de estar em paz com a consciência que todos os dias alimenta meu estado de ser.

Eu quero, eu posso, eu consigo. Não sou acesso para coisas ruins, não sou o acesso para o negacionismo, para a prática da não aceitação.

Eu sou luz, sou a porta aberta, sou o sol que bate no rosto, sou o caminho que trago nas lembranças, na memória afetiva, na lucidez de quem sabe que conseguiu se reerguer inúmeras vezes através da força do querer.

Deus sempre será o lugar mais natural para que meu coração descanse, sempre será o meu refúgio, meu condutor, meu amparo, meu tudo. Juntos somos um!


“A saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar”

Artigo Anterior

Tudo o que você pediu a Deus, Ele vai lhe dar em breve. Suas preces serão atendidas!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.