publicidade

A diferença entre construir um amor e surpreender-se com ele:

Leia o texto abaixo ao som de Ed Sheeran – Shape Of You.



O futuro ao amor pertence…

O amor é o sentimento que move o mundo. Não no sentido negativo que estamos sendo levados, mas nos caminhos do bem e da prosperidade. Por quem faz parte de nossas vidas, assim como tudo o que realizamos, o amor é a motivação e o maior incentivo para seguirmos em frente. Seja para conquistarmos o melhor de alguém ou, simplesmente, para avistarmos um pedaço de esperança no céu nublado. O amor é tudo aquilo que acontece quando estamos distraídos. Portanto, quando o moldamos de acordo com as nossas expectativas, certamente, ele será frustrante.

O amor construído é aquele pré-moldado de acordo com as exigências pessoais. Ou seja, encontramos uma pessoa e depositamos nela tudo o que estamos procurando para solidificarmos um relacionamento amoroso. Contribuímos com as atitudes alheias de modo a surpreender-nos com os resultados. Não que seja algo negativo, mas ao contrário da espontaneidade, somos os responsáveis por nossas próprias escolhas.


É comum olharmos para o outro e não conseguirmos enxergá-lo, estamos sempre apressados. Toda pausa é como uma dádiva que até mesmo nas horas vagas, torna-se um cronograma de tarefas a serem cumpridas. Se, ao menos, conhecêssemos a nós mesmos, seria mais fácil compreender o outro. Somar e compartilhar ao invés de subtrair.

Seguimos, constantemente, em busca de alguém que escolha ficar, enquanto os demais já foram embora. Um amor que não desista, que seja de verdade e que supra todas as necessidades que estipulamos em nossos corações como prioridades. As exigências são grandes, o relógio gira rápido e não espera por mudanças. Nem tudo acontece no tempo em que desejamos, ainda precisamos aprender a contornar a paciência e ansiedade. Isto é, para quem não sabe onde deseja chegar, qualquer destino ou acaso são aceitáveis. Assim como qualquer amor raso que, ao mergulharmos de cabeça, a enxaqueca do esquecimento será latejante e memorável.


Gratificante é aquele amor que chega manso e, quando menos percebemos, torna-se uma onda de paixão e bons fluídos. Quando amamos alguém pelo que a pessoa, de fato, é. Que não tenhamos preconceitos ou julgamentos. Por uma simples troca de olhares, um gesto minucioso ou uma atitude surpreendente. O amor é leve, não existem cobranças ou limites. Tudo acontece sem nenhum esforço, sem explicações, prazos ou planejamentos. Não é preciso depositar fichas, afinal, o amor acontece de graça.

Caro é o preço que as pessoas pagam por não amarem. O amor é um sorriso que nunca se fecha. É a mão suando de nervoso, a segurança ameaçada por um ciúmes bobo, um pôr-do-sol para repor energias e declarações românticas antes de pegar no sono. O amor é muito além de meras palavras, é uma conquista diária. É um interesse inexplicável pelo desconhecido, é arriscar-se sem, ao menos, pensar no perigo ou nas consequências. É tirar os pés do chão, sentir a liberdade e optar por uma vida a dois.  O amor é o combustível da alegria, ele é capaz de tudo e qualquer coisa, se ambos amantes tiverem uma fé inabalável nele.

Amor é olharmos profundamente nos olhos da pessoa amada e não enxergamos luz e nem cor, apenas o oculto que reside no brilho do encontro. Amor é reciprocidade, nua e crua. O amor é seguir na mesma direção, é ter autonomia para mandar embora a tempestade e permitir-se ao arco-íris. O amor é a linha tênue entre o sim e o não, não existem meios termos. O amor é uma certeza convicta.

Que o amor seja nós desamarrados, para que possamos criar laços juntos.

Baixe o aplicativo do site O Amor e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Amor. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.