4min. de leitura

Distribua bênçãos por onde for, elas retornarão a você, quando menos esperar…

Abençoar! O que exatamente significa isso? Quais são as dimensões de “abençoar” a alguém e as consequências de tal ato?

Isto se restringe apenas à esfera material – que significa acrescentar um bem a alguém – ou tem este ato implicações que para nós são desconhecidas à primeira vista?


No hebraico, a palavra bênção (baarah) vem de uma raiz (barakeh, beirakheh) que significa ajoelhar, abençoar, exaltar, agradecer, felicitar, saudar, conceder poder a alguém para alcançar a prosperidade, longevidade, fecundidade, obter sucesso e muitos frutos, dotar de um poder benéfico, apresenta um sentido de concessão de alguma coisa material; no grego (eulogeo) significa falar bem de louvar.

Como se vê, a forma grega acrescenta os bens espirituais. Nos dicionários, consta como ação de benzer, favor divino, graça.

Sendo assim, o ato de “abençoar” originalmente significava uma força benéfica que uma pessoa poderia transmitir a outra, e que ficava em contraste com o poder destrutivo de amaldiçoar. O conceito de multiplicação está imbuído neste termo.

É interessante notar como o sentido da palavra abençoar, na língua portuguesa, distanciou-se do original. Muitas vezes, o que ficou na cabeça das pessoas foi só uma lembrança de quando nossos avós nos diziam: “Deus te abençoe, meu filho”, no sentido de “Deus te guarde, Deus te acompanhe”, não é mesmo?!


Os filhos que recebem a bênção da parte de seus pais têm um bom começo espiritual e emocional na vida, recebem um firme propósito de amor e aceitação.

Mas se meditarmos um pouco no conceito original desta palavra, perceberemos que há uma expressão muito mais forte: bênção! Ela invoca o apoio permanente de Deus para o bem-estar da pessoa, fala de agradecimento, confere prosperidade e felicidade em toda pessoa que a recebe da nossa parte.

Lembremo-nos de que há poder em nossas palavras, por isso, hoje eu peço que Deus o abençoe, porque ao bendizê-lo, de todo coração, estou bendizendo a mim mesmo.

Imaginemos agora você dizendo ao seu filho ou à uma pessoa: 


“Deus lhe conceda poder e autoridade para que você seja bem-sucedido, próspero, fecundo, fértil e que tudo te multiplique…”

Deve-se ter em mente que o ato de abençoar requer, daquele que abençoa, um relacionamento correto com Deus e, sobretudo, de fé. Isto não quer dizer que um pai incrédulo não pode abençoar seu filho. O importante é saber que de Deus recebemos bênçãos para repassá-las ao nosso próximo.

Temos um Deus abençoador, cheio de misericórdia, graça e justiça, o qual nos presenteou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestes em Cristo, seu filho amado.

Distribua bênçãos por onde quer que vá, não só em palavras, mas em ações. Elas retornarão a você, quando menos esperar. Shalom u’vrachot (paz e bênçãos)!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Amor: antstang/123RF Imagens.


Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.



Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.