Colunistas

É em Deus que encontro meu descanso

148807191 s

Em alguns momentos de nossas vidas, nós nos perdemos na tentativa de agradar ao âmago, na busca constante de satisfação, no desejo incansável de sentir alegria com situações ou coisas.



Faz parte da vida o desejo, certa dose de ambição e alguns bons pares de olhares em nossa direção. Fazem parte da natureza humana certas inclinações, gostos e contragostos, adorar e odiar, insistir e desistir.

Todos nós somos movidos o tempo todo por nossas vontades, tanto do que queremos e que nos agrada quanto do que não queremos, pois nos desagrada.

Passamos anos estudando, porque desejamos um trabalho; conhecemos gente, porque necessitamos de amigos, companhias; buscamos vínculos, pois apostamos na estabilidade; compramos coisas, porque precisamos comer, vestir, morar, viajar… Acessamos, postamos, editamos, divulgamos, pois precisamos de visualizações, de nos sentir queridos, admirados, amados…


Todas essas atitudes dão os caminhos de nossas vidas. É assim que tudo acontece, que tudo muda, que tudo se transforma.

Ninguém abre os olhos na cama sem um objetivo que seja, talvez o mais simples, pelo menos: acordei, preciso respirar!

Porém, ainda que se resolva grande parte dos anseios com as concretizações e que também se aprenda a conviver com todos os “nãos” numa boa, existe sempre alguma coisa que nos apetece. Há algo que transborda de nós o tempo todo e que sempre está presente, mas que esse nosso “ir e vir” nos impede de perceber.

Como disse o famoso escritor russo, Dostoievski: “Existe um vazio no coração humano do tamanho de Deus.”


E não é preciso tanto estardalhaço nem tampouco uma parcela de contramãos para compreender isso.

Por mais que passemos a vida fazendo, realizando e conseguindo ou fugindo, desviando e impedindo, nada disso nos completa totalmente, nada suporta nossa lacuna. Não raros são os milionários infelizes, famosos enlouquecidos e beldades deprimidas, porque o que acalenta a alma jamais pode vir de fora. Apesar de serem coisas agradáveis e que promovam certo apreço, são passar, vão quebrar, vão deixar de existir.

Que eu saiba viver a vida sem tantas oscilações, que ande a passos firmes, tanto em chão batido como na areia movediça, que não me esforce tanto para reconhecer a felicidade e que tenha a clara convicção de que fazer e ter nunca serão maiores do que ser. Que eu não perca a fé na vida, mas que não me afobe tanto pelos dias vindouros, e que eu tenha fortemente dentro de mim que nada preciso, pois sou muito além daquilo que alcanço.

Que a calma e a paciência me ocupem e que eu nunca me esqueça de que é em Deus que encontro meu descanso!


Os signos mais impulsivos: eles são pura emoção e querem tudo para já!

Artigo Anterior

Nossas verdades não são as dos outros. Respeito é muito bom e todo mundo gosta!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.