publicidade

E hoje eu sou assim… De mim

Entendi que eu preciso ser de mim, para só então ser de outro alguém. E hoje eu sou assim… de mim.

Você já sentiu saudade de se apaixonar? Eu sim. Às vezes, a vida fica chata pra caramba e parece faltar aquele friozinho na barriga.



Eu sei, você deve estar pensando que eu sou solteira, livre e desimpedida e eu lhe respondo: NÃOOOO! Casada há muitos anos e mãe de filhos. Aha, você pensou que uma vez casada sempre apaixonada, não é? Na maioria das vezes não é assim, isso é mais em Hollywood… mas como permanecer juntos? Isso é assunto para outro post, mas vamos lá!

Como todo mundo, eu passo os mesmos conflitos no casamento, na vida, na maternidade e por aí vai, e esses dias, pensando sobre essa falta do friozinho na barriga que se dá pela rotina e dia a dia de um casal, comecei a refletir sobre mim…

Eu sou de mim?

Lembrei de uma amiga querida que faz tal reflexão e dedico este texto a ela!


Comecei a pensar: e eu? Gosto de mim? Eu sou de mim?

Sim! Porque muitas vezes essa busca por aceitação se dá porque não nos aceitamos de alguma forma. Então, comecei a trabalhar isso em mim: autoaceitação.

Iniciei um “eu me amo” todos os dias e perguntava para mim: “Marcinha, já se amou hoje?”


E como começar o desenvolvimento do “eu me amo”? Bem simples: em primeiro lugar escolha três pessoas que você admira muito; escreva, para cada uma dessas pessoas, no mínimo três qualidades que elas possuem.

Agora deixe eu lhe falar uma coisa: “Só vemos no outro o que nós mesmo temos!”

Se você enxergou essas qualidades é porque você as possui. Vamos agora ao próximo passo.

Reescreva todas as características citadas – no total nove – começando por eu sou. Eu sou (qualidade que eu vi no outro) e assim por diante.

Ao final deste exercício você estará com nove frases de eu sou.

Escreva e cole em um lugar visível e todo o dia diga para si mesmo e reafirme todas aquelas qualidades que você possui.

Depois disso, admire-se, diga para si mesmo que se ama, converse consigo mesmo, ria de si, invista neste relacionamento com você.

Sabe por que? Porque depois de um tempo de autoanálise e estudos aprendi que, se você não pertencer a si mesmo, não saberá pertencer ao outro.

Estará sempre numa busca contínua de preencher o vazio que, na verdade, está bem alí, dentro de você, esperando você se amar.

Não que eu não sinta necessidade da paixão, sim, eu sinto e por vezes invisto em meu relacionamento por isso, pois é tão bom reviver essas fases!

No entanto essa busca diminuiu drasticamente no momento em que eu aprendi a me acolher, a me respeitar, a me aceitar e a me amar. A lei é: entrego, confio, aceito e agradeço! É essa lei que apliquei na minha alma e funcionou.

O que faço, faço hoje por mim e não para provar a outrem ou satisfazê-lo apenas. Parei de me anular à medida que me aceitei e está tão leve assim. Entendi que eu preciso ser de mim, para só então ser de outro alguém…

E hoje eu sou assim… de mim.


Direitos autorais da imagem de capa:wallhere / 1054952

Baixe o aplicativo do site O Amor e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Amor. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.