4min. de leitura

É preciso mudar, soltar, acompanhar os ciclos. Revire-se do avesso! Faça uma reforma íntima!

Quando algo passa por uma reforma, já diz a palavra: a estrutura em questão passa a adquirir uma nova forma, um novo agrupamento.

Para que haja uma reforma, primeiro é preciso desenformar tudo que já existe, sair da forma original, voltar ao princípio e começar de novo.



Neste processo todo de obra, a sujeira passa a ser constante, tudo acaba saindo do lugar. Uma nova rotina se instala, ruídos e uma sensação de bagunça passam a tomar conta daquele ambiente, o caos se instala, e entramos em um grande vazio.

Para que o novo tenha espaço, antes é preciso se despedir do velho. Entender que a vida vibra impermanência, que tudo tem começo, meio e fim nos ajuda a sofrer menos. Isso é uma regra universal, habitamos um planeta imerso em uma grande galáxia, e desde o sol compreendemos as estações da natureza, como algo cíclico, eternamente.

Nada permanece para sempre, tudo é perecível, também nossas identidades.

Para que possamos entrar na vacuidade da alma, precisamos zerar as nossas expectativas, estas que foram construídas em cima de falsas estruturas e de informações vindas do exterior desde o nosso nascimento.


Nossa verdadeira identidade nasce no momento em que, com maturidade e sinceridade, podemos olhar para nossas dores com transparência, amor e acolhimento. Isso só será possível através da luz que vem com a consciência de ver de um novo ângulo onde estamos sabotando o nosso descobrimento.

Descobrir-se, olhar e tomar a nossa história tal qual ela é, e então construir uma nova realidade, em bases verdadeiras, sólidas, que serão formadas de forma orgânica e que sejam sustentáveis, onde não se precise mais fazer força e nem usar máscaras.

Quando o universo faz uma reforma em nossa vida, é porque ele quer nos proporcionar algo melhor lá na frente. Porque ele acredita que esta velha forma já não nos representa mais.

É preciso mudar, soltar, é preciso acompanhar os ciclos incessantes que não param de recomeçar. A Terra sempre estará em movimento, seguir no fluxo da existência é um ato de pertencimento, ao TODO que nos envolve.


Permita-se destruir os velhos padrões, as velhas crenças, aquelas que não lhe servem mais. Faça uma faxina interior e coloque fora tudo aquilo que já não tem mais utilidade. Dê espaço aos novos pensamentos, sentimentos e descobertas. Experimente-se com um novo visual, em um novo habitat, coma coisas diferentes, aprenda algo novo, escute um novo idioma, descubra novos prazeres.

Revire-se do avesso, conheça-se por todos os ângulos e crie sua verdadeira identidade. Faça uma reforma íntima!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens/kitzcorner.

Você sabia que O Amor está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

* Matéria atualizada em 06/05/2019 às 6:24





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.