publicidade

Ela é forte, segura e feliz. Não se aproxime, se não for capaz de ficar!

Ela exala desapego. Sempre teve uma facilidade nata em seguir em frente.

Muitos amigos diziam que ela não tinha coração. Que ela não era normal. Ou até a chamavam de “free spirit’’.



Mas o que provavelmente nenhum deles entendia, é que ser normal, tem um conceito diferente para cada um. Ser normal para uns, era estar casado com 20 anos, enquanto ela descobria a vida e decidia em que cidade morar. Ser normal para outros, era estar em uma mesma faculdade por cinco anos, enquanto ela decidia onde se aventurar no próximo curso fora.

Já aqueles que a chamavam de “free spirit” também não compreendiam que ela via isso como um dos melhores elogios. Ela não se feria por ser assim, afinal, a liberdade sempre definiu muito bem o que ela era.

Enquanto via as suas amigas sofrerem por términos, trocarem de namorados mais de duas vezes ao ano e sentirem necessidade de ter sempre alguém para suprir um vazio, ela vivia. Conhecia-se. Em meio ao mar de solitude que decidiu mergulhar, ela conhecia um novo mundo dentro de si. Desapegada. Livre. Leve. Feliz.

E, não! Ela não era esse gelo todo que muitos achavam. Esse era o ponto de vista de quem ela não permitia conhecê-la a fundo. Seu coração não era de pedra.

Se fosse, não teria sentido tanta dor como já sentiu.  Contudo, se não passasse por tudo que já passou, não seria tão forte.


Dentro dela tinha uma menina meiga e cheia de sonhos. Com um amor pela sua família e por crianças, que não cabia no peito. Talvez o que a diferenciava de muitas outras era seu amor próprio, sua força e coragem em reconhecer e deixar o que não fazia bem.

Talvez, por já ter se entregado, já esteve vulnerável por algumas vezes e até sozinha. Mas ela logo ergueu a cabeça, entendeu o que estava acontecendo e o que ela merecia. Deu de ombros. Seguiu em frente.


Doce, protetora, amorosa. Nem exposta, nem vulnerável, nem medrosa.

Coração blindado, sorriso no rosto, cabeça erguida. Segue em frente, sem olhar pra trás.

Não foge da luta, não foge do amor. Ama a sua companhia e entende que o amor vem no tempo certo. No tempo dele ele é plantado e cultivado por duas pessoas. Dá certo, e não acaba quando ambos estão dispostos a pagar o preço de um relacionamento. O preço de amar.

Seus amigos acham loucura ela preferir estar só, que se afundar em um amorzinho relâmpago. Desses que duram um fim de semana ou alguns meses, mas “servem de experiência”, segundo eles.

Para ela, loucura mesmo, é se iludir. Se desgastar com o que não tem perspectiva. Preencher um vazio com outro e ser passageiro de mão em mão, fugindo do amor só porque alguém não soube amar antes.

Ela é uma mulher incrível! ‘Como uma maçã no topo da árvore’, é resistente. Forte, convicta, feliz.

Se um dia você se apaixonar por uma mulher incrível, mas não tiver a capacidade de estar com ela, se um dia você gostar dela e perceber que ela é mais do que você esperava, mantenha distância. Torça pelo seu sucesso, de longe. Não entre na vida dela, se não for forte o suficiente para não desistir. Porque namorar uma mulher assim, meu bem, não é pra qualquer um.

Entenda que ela valoriza as pessoas e não joga fora sentimentos, ela os conserta. Mas se for necessário, refaz o caminho.

Cabeça erguida. Sorriso no rosto, sem olhar pra trás, segue em frente.

___________

Direitos autorais da imagem de capa: yuriyzhuravov / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Amor e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Amor. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.