Colunistas

Em todas as situações, ame a Deus, e todas as coisas cooperarão para o seu bem

Licenciada para o site O Amor: joseelias/123RF Imagens.
joseelias 123

Deus transforma o mal em bem, a maldição em bênção. Tudo é usado a nosso, favor quando amamos a Deus.

“E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.”(Romanos 8:28)

Amar a Deus e declarar que Ele está acima de tudo em nossa vida é muito fácil. Difícil é entendermos o trabalhar d’Ele dentro dos processos desafiadores por que temos de passar, principalmente quando os cansaços chegam, quando a impaciência e a desesperança tentam nos arrancar do caminho, fazendo com que nossa fé se enfraqueça diante das adversidades, quando perdemos algumas batalhas, quando somos afrontados, rejeitados ou até feridos.

Costumo dizer que, no final, tudo dá certo, que as coisas se ajeitam quando confiamos, mas os nossos pensamentos precisam se unir às nossas ações e o nosso coração precisa se proteger dos medos, da incredulidade, dos sentimentos ruins e até dos ventos que tentam contradizer tudo aquilo que construímos por meio da fé.

Tudo coopera para o nosso bem, quando amamos e acreditamos n’Aquele que tudo pode fazer por nós.

Seja uma situação boa, ou até ruim, tudo coopera juntamente para o nosso crescimento, aprendizado, fortalecimento e conhecimento futuro, que até então depende do nosso esforço presente e das nossas certezas de que nada é em vão, e de que para tudo há sim um propósito divino e inadiável para nossa vida.

Há batalhas incompreendidas que, a princípio, nos assustam, no entanto, serão um divisor de águas para nós. Não importa o quanto elas tentem mudar os percursos da nossa história, ninguém muda os percursos traçados por quem a escreveu com tanto amor e de acordo com as nossas necessidades.

Ele transforma o mal em bem, a maldição em bênção.

Tudo e todas as coisas serão usados a nosso favor, quando realmente amamos a Deus e n’Ele depositamos nossa total confiança. 

 

Publicado originalmente em Cecilia Sfalsin.