Errei muito com uma pessoa. Ela gostava de mim de verdade e eu vacilei.

5min. de leitura

Errei muito com uma pessoa que passou pela minha vida. Ela gostava de mim de verdade, e eu vacilei com ela.

Como lidar com a culpa? O que fazer quando queremos pedir perdão, mas a pessoa não quer mais saber da gente?



Veja aqui como lidar com a culpa, quando é demais, quando é de menos e qual a dose certa.

Recebi esta pergunta: “Eu agi de forma monstruosa e afastei uma pessoa que eu amava e que me amava. Agora estou melhorando e reconheço meus erros, mas a pessoa não quer saber de mim, cortou todos os laços e eu preciso que ela me perdoe.

Não consigo ser feliz sem o perdão dela. Estou sobrecarregado do sentimento de culpa.”

Segue aqui o que eu respondi:

O passado passou. Já era. Você errou, erramos. Deixe a pessoa ir embora. Ela merece. Ela fez bem. Ela exerceu amor-próprio e se protegeu de ser atacada por você. Você a maltratou demais e ela reagiu de forma inteligente e saudável, afastando-se da fonte desnecessária de dor. Se você realmente ama esta pessoa, então deve estar feliz em saber que ela está agora longe de uma fonte de sofrimento e tem menos uma pessoa na vida dela atacando-a, sendo “monstruosa”.


Quanto a você, fica o aprendizado. Você errou. Enquanto se apegar ao conceito que você é vítima de sua natureza “monstruosa”, não vai totalmente assumir o controle de sua vida.

Eu recomendo este mantra: “A vida que eu vivo, fui eu que fiz”. Repita-o sempre. Assuma autrorresponsabilidade e comando da vida. Sem entrar nos complicados detalhes de quando e como, você é a pessoa que você construiu.

E calhou que muitos erros depois, nesta vida e em outras, você teve sua fase “monstro”. O monstro machucou e afastou pessoas. Você sofreu, outros sofreram. É ruim. Foi um erro.


Agora, você aprendeu com o erro. Está assumindo a cura. Está ciente de que precisa e tem o poder de ser uma pessoa melhor.

Você não precisa de confirmação dos outros, nem perdão ou reconhecimento. Você apenas precisa se perdoar. Você sabe que fez errado, e agora está fazendo melhor. Isso é um sucesso. E é seu mérito. E agora você vai continuar a melhorar mais e mais, dedicando sua vida a ser a melhor pessoa possível.

Assista também o que a nossa Sangha conversou sobre isso com a palestra:

Outras pessoas entrarão na sua vida e você vai valorizá-las, vai amá-las, não machucar. E você também vai se amar, não se machucar. Tudo vai melhorar, especialmente se você pedir sempre a graça de Deus.

Culpa demais é um processo egocêntrico inútil. É outra forma de cultivar vitimismo. É inútil e doloroso. Largue isso então e siga a vida, feliz com sua realização honesta que errou e que gostaria de expressar o quanto se sente por isso. Mas sem precisar de uma confirmação da outra pessoa. Nunca dependemos de outra pessoa. Sua felicidade está em suas mãos, não nas mãos de mais ninguém.

Culpa de menos, não é bom. Como costumo brincar, que não tem vergonha é um “sem vergonha”. Culpa demais já vimos que é doentio.

Precisamos de culpa na dose certa. Só o suficiente para você sinceramente não querer mais repetir aquele erro.

Queremos culpa o suficiente para usar de combustível para a transformação, para ser uma pessoa melhor

Deixe o passado no passado, use o aprendizado para crescer hoje e o futuro será brilhante.

Despeço-me com o seguinte mantra: #aVidaqueEuVivoFuiEuqueFIZ

 Veja aqui meu vídeo sobre este tema: 

Seu amigo,

Giridhari Das

_______________

Direitos autorais da imagem de capa: theartofphoto / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.