ColunistasReflexão

Eu não aceito menos do que eu mereço, e eu mereço uma vida de abundâncias!

Eu não aceito menos do que eu mereço e eu mereço uma vida de abundâncias 1

Quanto mais amor nutro por mim, mais amor encontro fora de mim!



Não existe mistério. É nos querendo bem que o mundo vai nos querendo bem também, e assim fazemos as pazes com as limitações, medos e situações que achávamos intransponíveis.

Autoconhecer é saber onde moram as sombras, onde mora o ponto fraco e os fortes, e trabalhar nessa lapidação com coragem e proximidade. Sem jogar a culpa em ninguém, sem fingimento e boicote. Autoconhecer é colocar uma lupa e acender uma luz no quarto escuro, que fingimos estar arrumado. Aquele quarto dos entulhos emocionais, do monstro que se alimenta dos medos.

É olhar para as crenças, questionar as escolhas, avaliar as “verdades” e dessa forma ressignificar os sentimentos. Trazer novos entendimentos, clareza e certeza de quem se é, sem máscaras ou fingimentos.


É se querer bem de fato e fazer algo por isso todos os dias. É buscar a naturalidade como caminho e não mais a normalidade como proposta de encaixe.

É arrumar tempo pra si, é ouvir mais o coração e não as opiniões dos outros, é se respeitar e se sentir.

É aprender a se guiar pelo seu poder inerente, da sua natureza, da qual a fizeram duvidar, até mesmo você deixou de acreditar: sua intuição.

E quanto mais íntima é essa relação, mais expansivas nos tornamos, mais certas ficamos das nossas escolhas e daquilo que queremos e merecemos.


Eu não aceito menos, eu mereço uma boa vida! Queira isso também!

Ninguém consegue fingir ser quem não é por muito tempo. Deus não deixa; as atitudes também não

Artigo Anterior

A hipocrisia que circula no mundo real e virtual nos causa todos os tipos de prejuízos

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.