Eu sou o melhor de mim hoje e pretendo ser todos os dias, mesmo com as adversidades

A nossa realização ainda é ser e ter o que não somos e nem temos.

Nós humanos desejamos ser a materialização de tudo o que acreditamos.  Aquela representação pura do que absorvemos na vida e que temos como padrão da vida mais próxima do ideal. Se é que ele existe.

Saúde plena, amor incondicional, paixão duradoura, segurança financeira, sonhos realizados, pensamentos concretizadas, metas alcançadas. Viagens feitas, encontros consolidados, músicas dançadas, vinhos degustados, tardes de domingo relaxantes, abraços confortantes, sonos revigorantes, tempo de sobra.

Vamos nos construindo com o que pretendemos ser e realizar e nos angustiamos porque não o fazemos, independentemente do motivo: ter ou não grana, ter ou não o amor, ter ou não o emprego desejado, ter ou não estudo, ter ou não domingos de folga.

Eu não quero encontrá-lo, eu quero encontrá-lo e ficar o máximo de tempo possível. Eu não quero apenas viajar, mas viajar sem data para voltar. Não quero ter só a folga do trabalho, mas poder fazer tudo o que eu desejo neste tempo, inclusive fazer nada.

A pessoa feliz, de bem com a vida, realizada se constrói o tempo todo e nós vivemos mais sonhando com esta pessoa do que encarando a que está em seu estado atual se refazendo e se dilapidando, ou se montando para o mundo.

Há quem não se apegue ao momento, vive com o pensamento em sua projeção, no tempo em que tudo estiver bem e como o planejado. Outras se angustiam com o que ainda não têm.

Somos assim mesmo. Humanos em busca de uma consciência plena do que somos, porque temos que fazer o que fazemos, porque queremos o que queremos e sem certeza de muita coisa, além do desejo de sermos felizes, sem problemas, sem culpas.

Felicidade para ser vivida, contemplada, daquelas que se propaga e não deseja o fim. Que sufoca o sofrer que muitas vezes se apresenta só para que aprendamos a lidar com as várias facetas da vida. E a partir daí, rearranjar-se, reconstruir-se, humanizar-se mais.

Quando as coisas dão certo, vale agradecer e refletir: eu sou o melhor de mim hoje e pretendo ser todos os dias, mesmo com as adversidades que me fazem reconhecer o que eu realmente quero para mim e para os meus.

Eu sou o que eu já pensei de mim. Eu continuo pensando o melhor para mim. E quando as coisas tomam forma, eu percebo a concretização do que busquei para mim e do encontro comigo mesmo.

Que não é, talvez, perfeito, simples, mas faz parte das escolhas diárias, pensadas, programadas e liberadas para que o Universo me proporcione o retorno, que sempre vem! 



Direitos autorais da imagem de capa licenciada o site O Segredo: olga555 / 123RF Imagens




Deixe seu comentário