Faça seus rituais, encerre seus ciclos, é hora de dizer adeus. Soltar é preciso…

Não é fácil dizer adeus a tudo que tanto lutamos para manter ao nosso lado. Não é fácil dizer adeus ainda com o coração cheio de amor. Não é fácil dizer adeus a todos os sonhos que cultivamos durante tanto tempo, mas soltar é preciso.

Dizer adeus não quer dizer que também daremos adeus ao amor, às lembranças e à saudade. Esses sentimentos podem nos acompanhar ainda por um tempo, mas encerrar o ciclo é dizer ao coração que damos conta. Porque podemos conviver com uma lembrança ou outra, com o resquício de um amor, mas não podemos cultuar memórias póstumas de algo que acabou para sempre. Não é saudável e nos faz mal.

Nós, nossa civilização, somos regidos por rituais. Não à toa, temos o ano novo, que nada mais é que colocar um ponto final no tempo, que é infinito, mas nós precisamos desses ritos de passagem. Nós precisamos jogar fora as coisas velhas.

É hora de se desfazer de símbolos, de tudo que tenha um apelo sentimental muito forte e que lhe traga dor. A mente humana precisa disso, para absorver melhor todo o processo de luto. E para conseguir se reorganizar, para poder recomeçar.

Vamos lá! Pode doer agora, mas está na hora de tornar passado tudo que não estará no seu futuro. 

É hora de se desfazer da aliança, da foto de cabeceira, dos retratos empoeirados e quase santificados na prateleira.

É hora de mudar o cheiro da casa, a roupa de cama.

É hora de deletar o contato, de parar de seguir nas redes – e na vida.

É hora de cortar o vínculo. A maior quantidade de vínculo que se possa.

É hora de andar sozinho, com as próprias pernas, de deixar a luz entrar no quarto e na alma.

Certas vezes, arrastamos as correntes do adeus que negamos por tempo demais, isso consome nossas forças e não permite que o novo chegue. As energias ficam travadas e não saímos deste ciclo. De repente, nossa vida está estagnada e nós perdemos a alegria.

Dizer adeus nos alivia. Não é fraqueza. Você foi forte demais chegando até aqui. E daqui para frente é contigo! É você e a vida, amigo! Ela está lhe esperando.

Mas você só vai ter real qualidade de recomeço quando fizer a faxina e liberar espaço no seu coração para novos amores e para as infinitas possibilidades que se apresentam a cada novo instante.

Feche o livro, bata a porta e vê se não volta! Saia sem olhar para trás. Desapegue das coisas materiais… é o seu espírito que está precisando de paz. 

Diga adeus para o esse seu velho eu, porque você está começando uma linda e nova fase. Rancores e melancolia pesam demais para trazermos na bagagem.

Perdoe-se, perdoe quem tem que ser perdoado, deseje felicidade e siga o seu caminho. É hora de focar em você.

Um adeus bem dado é um remédio milagroso. É a melhor forma de autocura que eu conheço.

É absolutamente libertador, por mais assustador que possa parecer.

Nem tudo precisa ser guardado em velhas caixas em cima do armário, já basta as cicatrizes que nos provocaram.

Deixe só o que traz conforto e felicidade para o coração.

O que não for para fazê-lo sorrir, não tem motivos para se perpetuar. Diga adeus ao passado e diga olá ao novo. O futuro é agora.


Direitos autorais da imagem de capa: Roberto Nickson on Unsplash.




Deixe seu comentário