4min. de leitura

Fique com alguém que te dê liberdade de ser quem você é

Antes de escolher dividir a vida com alguém, você precisa estar sereno, completo, feliz, ciente e seguro de quem você é.


Muitas vezes, nós nos envolvemos em relações que nos fazem sentir aliviados quando a pessoa não está perto: “Graças a Deus que fulano não está aqui”; “Agora que ela saiu tenho paz”; “Vou aproveitar que ele não está aqui para poder me concentrar”; “Com ela aqui vou conseguir, finalmente, fazer tal coisa”; “Com ele aqui eu não consigo, simplesmente, fazer nada!”

E, quando a pessoa está perto, sente cansaço, um pouco de tensão. Está o tempo todo tentando parecer ou ser alguém diferente do que é. Sente-se pressionado, cobrado o tempo inteiro.

E, por incrível que pareça, estas relações estão ficando cada vez mais comuns. Quando você pergunta a essas pessoas o motivo pelo qual mantêm estes relacionamentos, as respostas são assustadoras. Já ouvi: “Costume”; “Hábito”; “Não tenho mais idade pra conseguir outra pessoa”; “Pelos filhos”; “Ele me sustenta”; “Ela cuida dos negócios”; “Temos bens em comum”; “Prometi aos pais dele que cuidaria dele”; “Quem mais vai me querer?”


E seguem infelizes, carregando as relações como castigo por algo que acreditam ter feito no passado ou, sabe-se lá por quê.

O que você merece?

Antes de escolher dividir a vida com alguém, você precisa estar sereno, completo, feliz, ciente e seguro de quem você é. E, quando você está nesta frequência, consegue perceber o que não lhe faz bem e o que não merece participar desta vivência. Seja na vida pessoal ou profissional. Então, você vai escolher relações que somem, que acrescentem apenas coisas positivas e vivências enriquecedoras à sua vida.

 Ou seja, fique com alguém que:

  • o faça ser mais criativo;
  • o faça sorrir ao ponto de doer a barriga;
  • o incentive a ser melhor, que te dê liberdade de ser quem é;
  • não te julgue;
  • quando está longe, você se lembra dela e solta um sorriso largo;
  • goste das suas péssimas piadas;
  • consiga sorrir até do seu ronco;
  • o inspire;
  • o faça sentir saudade, mesmo que a distância seja pouca;
  • o beije e abrace em público;
  • consiga te divertir num fast food ou em um bistrô;
  • o faça sentir único e especial, como você é;
  • respeite a sua individualidade, o seu espaço;
  • compartilhe dos mesmos gostos que você;
  • encontra tempo para te ver em meio à correria da semana;
  • o admira;
  • olha com ternura para você, mesmo quando você não está vendo. E você pode sentir isso;
  • não tenha medo de se mostrar vulnerável quando está com você;
  • queira dividir com você desde os momentos bons até os ruins;
  • lhe ensine coisas novas;
  • o energiza a cada encontro;
  • faça planos com você;
  • olhe nos seus olhos.

E, quando encontrar alguém assim, seja assim para ele também. O mundo precisa muito disso. O remédio do mundo é o amor.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Amor: 123RF Imagens.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.