Moço, ela quer distância de relações conturbadas



Moço, se aceita um conselho, acho que você ainda não se deu conta de que essa mulher é diferente.

Vejo você brincando com a sorte, preste atenção, ela é adulta e dona de si, ela está contigo por acreditar que você tem maturidade suficiente para uma relação que agregue.

Escute bem este conselho: ela não tem paciência para chiliques, ela está longe do perfil barraqueira, bem diferente daquelas que compôs o seu histórico amoroso. Ela não vai perder tempo se explicando ou tentando amenizar as suas paranoias, ela é íntegra, é confiável, é inteira e transparente, mas, definitivamente, ela não vai ficar tentando lhe provar isso. Se você ainda não foi capaz de fazer essa leitura dela, tudo indica que vocês não irão muito longe.

Não é que ela seja intolerante, é que ela já está vacinada, entende? Ela chegou até aqui tentando ajustar homens problemáticos. Ela já se diminuiu para caber no mundo de quem não tinha nada a agregar à vida dela. Ela já assumiu culpas que, nem de longe, eram delas, ela se comportava assim na tentativa de viver em paz numa relação que já nasceu doente.

Essa mulher já não tolera mais nenhum tipo de abuso, e, não pense que ela vai se demorar na expectativa de que você reconheça as virtudes dela, ela já não faz mais questão da aprovação de ninguém.

Não queira testar os sentimentos dela, ela é gata escaldada, sugiro que deixe de lado essa infantilidade.

Ao que parece, você não sabe o que fazer com essa mulher, ela o assusta, não é? Ela traz leveza e maturidade, atributos que nunca fizeram parte dos seus relacionamentos anteriores. Você ainda não foi capaz de compreender que ela é avessa à baixaria. Pelo visto, você acha estranho um relacionamento sem acusações infundadas, sem constantes trocas de farpas, sem ciúme doentio, não é? Para o seu desapontamento, é esse o formato de relação que essa mulher deseja, se não existir paz e respeito, ela vai se levantar e ir embora.



Ela já sofreu muito, já se descabelou, e já perdeu a sanidade vivendo amores perturbados e fragmentados.

Mas, de tanto dar murro em ponta de faca, ela acabou se recolhendo e ressurgiu trazendo à tona uma nova versão de si mesma.

Ela está amando ser quem ela se tornou e, é um amor permanente, definitivo, ela não sente nenhuma saudade do tempo em que ela vivia aos trancos e barrancos, longe de si própria.

É óbvio que ela faz questão de um parceiro à altura dessa inteireza que ela oferece, mas, se não existir, está tudo bem, ela se ama o suficiente para achar graça em si mesma e na vida.


Direitos autorais da imagem de capa: 123rf / Joshua Rawson-Harris on Unsplash






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.