6min. de leitura

Múltiplos casamentos, por que isso? Entendendo a motivação espiritual…

Múltiplos casamentos, por que isso?

Este é um assunto muito questionado no meio social e as explanações e interpretações são as mais diversas, desde abordagens psicológicas, astrológicas, comportamentais, religiosas, só para citar algumas.


Ofereço ao leitor, através deste artigo, uma abordagem espiritualizada para que integrativamente junto a outras abordagens, possamos entender um pouco mais sobre estes comportamentos conjugais.

Este autor baseia-se em conhecimentos espirituais de sua própria jornada e também em sua experiência de cinco casamentos até a data deste artigo.

Bem, analisemos primeiro qual é a função ou objetivo de uma união, um casamento, espiritualmente falando.

Marido e mulher pela visão espiritual são cocriadores, são a base da família, eles concordaram ainda no mundo espiritual, antes de suas encarnações a proporcionar a si próprios e a outros espíritos, experiências em um núcleo familiar, para fins evolutivos de todo o grupo: a família.


Porém, há espíritos que possuem muitos acordos espirituais devido às necessidades de muitos reajustes e aprendizados, baseados em suas vidas passadas, ou seja,  esses precisam de mais experiências com várias uniões e, muitas vezes, muitos filhos também.

Refiro-me às uniões baseadas em desígnios espirituais em sintonia vertical, ou seja com aval espiritual e não aquelas causadas pelo livre-arbítrio (sintonia horizontal) que apenas trazem confusões, sofrimentos e arrependimentos por escolhas feitas sem nenhum laço espiritual que as justifique, porque fogem a meta cármica.

Quando os casais se unem e formam uma família, por determinado período que seja e geram filhos, cumpriram uma parte de seus acordos, mesmo se separando e novamente se unindo a novos pares podem, sim, ainda estar cumprindo seus acordos, pois esses novos pares estarão designados também a eles.



É claro que também aqueles casais que vivem juntos toda uma vida, como se diz na igreja, “até que a morte os separe”, também estão cumprindo suas metas, mas não podemos considerar um padrão, pois esta pode ser uma visão religiosa, porém não a visão espiritual.

É preciso entender que cada um de nós tem uma história espiritual diferenciada, necessidades e aprendizados também vem a nós sob medida.

Todos sabemos que acordos podem sofrer alterações, receber aditivos em seu corpo, quando isso tem um objetivo elevado que o justifique.

Uma reencarnação deve ser aproveitada ao máximo, devido à grande complexidade que é reencarnar os espíritos em trânsito e aprendizado na terra.

Então, se um ou mais espíritos reencarnantes precisam se reajustar e reaprender mutuamente a conviverem juntos e evoluírem, por que não se utilizar de um pacote de muitos reencontros e aprendizados?

A espiritualidade faz o cronograma perfeito para que aquele espírito encontre ou reencontre quem ele precisa reencontrar em cada fase de sua vida, para o bem maior de ambos e de todos aqueles que estão ligados a eles por laços transcendentais.

Os laços transcendentais incluem todos os tipos de relações do passado, cônjuges, amigos, amores, vizinhos, parentes e mesmo aqueles que se diziam nossos inimigos.


Desta forma é necessário olharmos as múltiplas uniões dos casais pelo ângulo histórico transcendente que cada espírito, na sua individualidade, carrega em sua bagagem.

Esta sabedoria oriental abaixo citada revela uma verdade. “Todos os caminhos da vida levam sempre no seu final ao começo de novos”.

Portanto, se não conhecemos o histórico transcendente de cada espírito que passou por estas múltiplas uniões, não podemos e nem devemos julgar, mas tão somente compreender que cada um de nós traz um universo dentro de si, um turbilhão de informações em sua individualidade insondável à observação humana terrena, mas perfeitamente observável aos olhos de Deus.

Precisamos também aceitar com respeito quando uma relação termina, pois na vida, quando terminamos uma lição, é sinal de que estamos prontos para outra.

Aproveito a oportunidade de relatar uma das muitas conversas que tive com as entidades de luz, há muitos anos atrás, e essa ficou marcada quando me foi dito assim: Filho, a sua jornada é longa, mas ela é longa, não é por acaso, mas pelos muitos reencontros que você terá nesta vida, isso faz a sua jornada longa.

Que aqueles que se identificaram com o texto possam refletir com sabedoria, porque existe um planejamento maior por trás de cada encontro e reencontro nesta vida pois a vida é como um rio, não para nunca, não retrocede e faz todas as curvas que tiver de fazer passando entre as pedras para seguir seu curso até o mar.

Sejam felizes e aprendam sempre em cada reencontro que tiverem.


Direitos autorais da imagem de capa licenciado para o site O Segredo: sonjachnyj / 123RF Imagens


Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.



Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.