Não é a vida quem trava, é você quem se atira no fundo do poço!

9min. de leitura

 Não é a Vida Quem Trava, é Você Quem se Atira No Fundo do Poço. – Saoba Como se Proteger Dessa Fatalidade:



Sua vida vai fluindo bem. Você tem um bom emprego. Tem ainda um amor “caliente” que te satisfaz “por completo”. Sua saúde está “perfeita”. E o financeiro está indo “de vento em popa”, apesar da crise que o País enfrenta, até que… De repente, “do nada”, você perde o emprego, descobre que seu amor lhe traiu com, pelo menos, duas (ou dois) amantes (…) Às vésperas das festas de fim de ano, você percebe que o cartão de crédito estourou e sua conta bancária foi “colorida de vermelho-sangue”.

Pronto! Você não se dá conta, mas está paralisado(a) diante da vida. O autocontrole entrou no “modo pânico” alinhado ao “modo depressivo”. A partir daí, você se acha a mais desgraçada dentre todas as pessoas. De início, faz a linha “injustiçado(a)” e resmunga aos quatro cantos e o tempo todo, o quanto se sente uma pessoa injustiçada pela vida, o quanto a vida lhe sacaneou… Nesta fase, um dos seus argumentos prediletos é o que tenta convencer, a si mesmo(a) e aos outros de que você não sabe o porquê de estar sendo tão maltratado(a) pela vida, ou por Deus.

nao-e-a-vida-que-trava


“Ah! Deus é injusto!”, “Ah! Por que Deus está fazendo isso comigo?” ou “Eu não mereço esse castigo de Deus!” – entre inúmeros outros questionamentos – sempre argumentando que “eu (você) é bom demais pra merecer tal sorte” ou ainda “eu (você) sempre fiz o bem às pessoas, não mereço isso”. Em seguida, vem a fase da revolta onde você age como uma pessoa mimada ou imatura perante à vida. Fica “com odinho” de Deus, de tudo mais, e principalmente da sua vida e, sem perceber, acaba “com odinho” de você mesmo(a). É a perigosa fase da revolta.

A fase da revolta é perigosa não só por travar completamente você e sua vida, fechando literalmente seus caminhos de oportunidades de reviravoltas; mas principalmente por ser esta fase a maior, ou uma das maiores fomentadoras de problemas psicossomáticos em sua saúde física-mental-psicológica. Muitas “doenças da alma” são fortalecidas e agem como poderosas “bombas detonadas” justamente nesta fase, a do “odinho” e da revolta interior. E enquanto isso, sua vida – que já não estava boa, nem feliz – só piora. E você não se dá conta de que, cada vez mais, se aproxima do fundo do fundo do poço.

É por esses, e outros, motivos que têm aumentado, assustadoramente, os índices de casos de pessoas com problemas/síndromes/transtornos psicológicos que, somados aos efeitos corporais (sintomas físicos) se transformam em malefícios/doenças psicossomáticas. Tudo isso é a causa do aumento quase incontrolável de doenças ou distúrbios emocionais como a depressão, o stresse, transtornos como o bipolar, o TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), as inúmeras fobias, enfim, todo esse conjunto de fatores nocivos e perigosos, vem descontrolando a sociedade moderna, aumentando consideravelmente os casos de suicídios, os diversos tipos de depressão e a agressividade – ou mesmo bestialidade – em pessoas que perdem totalmente o autocontrole.


Por mais que terapeutas, técnicas de relaxamento, e os mais diversos medicamentos possam ser úteis na resolução destes seus problemas psicossomáticos, somente você – sim!, você! – tem o poder total para resolver tudo isso e proporcionar uma mudança radical em sua vida. Mudança para melhor, óbvio. Mudança que vai lhe proporcionar satisfação e, consequentemente, felicidade.

A esse tipo de ação, costumo chamar de “Técnica Mova-Se!”. Repare que, quando você anda, tudo à sua volta está estático. São suas pernas, ou melhor, é você quem se movimenta, sempre para frente. E, movimentando-se, você chega ao seu objetivo para o qual está andando, se movimentando. Assim é a vida, ou seja, um eterno e ininterrupto movimento, sempre para a frente. Sempre avante. A vida nunca para. O viver nunca cessa, nem mesmo com a morte física, do corpo. Portanto, somos nós quem paramos. Somos nós quem travamos o nosso particular modo de viver a vida e, consequentemente, travamos a nossa vida.

E quando travamos nossa vida, tudo para, literalmente. E como paramos a caminhada do viver, como interrompemos o fluxo natural da vida em eterno, contínuo e ininterrupto movimento, todos os setores, todos os benefícios que há em nossa vida automaticamente paralisam. Deixam de seguir adiante e para a frente. Não mais progridem. Daí como não há mais o fluxo do eterno e necessário processo de renovação, começamos a colecionar perdas, algumas dolorosas.

Surgem as perdas de tempo, de dinheiro, de amor, de paz, de sossego, de tranquilidade, de esperança, de alegria, de vitalidade, de paciência, (…) e a perda da vontade de viver, de continuar vivendo, pois não se tem mais esperança de um futuro melhor. E quando se chega neste trágico estágio, é lamentável, muito triste mesmo.

Mas há um poderoso medicamento capaz de reverter drasticamente, de forma radical até, esta tragédia toda. Na verdade, é um conjunto de medidas que somente você deve adotar em sua vida. O primeiro passo para a grande mudança é fortalecer o autoamor e o autoperdão. Ame-se, muito! Jamais abandone a si mesmo(a)! Perdoe-se por ter se colocado neste labirinto de problemas.

Conseguindo esta fase inicial, a próxima etapa é mover-se o máximo que puder, mesmo que consiga mover apenas “um passinho de cada vez”, não importa. O importante é conseguir reativar o fluxo, voltar a mover sua vida. Fazer a “roda girar”. Pensar positivo, sempre, vai criar uma atmosfera energética vibracional sobre você e sua rotina de vida, fundamental para a depuração energética que reabrirá todos os seus caminhos. E por aí vai acontecendo tudo de bom, novamente em sua vida.

Quando você menos esperar, voltará a ter tudo que havia perdido, na maioria das vezes, terá coisas, pessoas e situações até mil vezes melhores do que vinha tendo. Eis aí a encantadora e justa magia da vida que transforma a tudo e a todos, o tempo todo, sempre, e para sempre.

Ninguém, e isso inclui você e a mim, obviamente, nasceu ou está neste mundo para sofrer, para padecer, para ser humilhado(a), para ser escurraçado(a). Não! Vivemos em busca da evolução espiritual. A felicidade é um mérito a ser conquistado. E vivemos para conquista-la, minuto a minuto. E cada um de nós tem a dose de felicidade que merecemos, ou que conquistamos, aumentando ou diminuindo de acordo com nossos esforços.

Reflita sobre isso. E nunca se permita ficar estagnado(a) perante à vida, pois, de nada adiantará lamúrias, xingamentos, revoltas, “odinhos”, nem cara feia. A grande transformação, a vida melhor que você tanto quer para si só vai acontecer por seu merecimento. Por isso, mova-se! Aja sempre! Nunca pare! Seja audacioso(a) na conquista de seus objetivos e desejos.

nao-e-a-vida-que-travaaa

Viver a vida não é tarefa para fracos. Seja sempre audacioso(a) na conquista da felicidade. Porque todos nós merecemos ser felizes. E é isso que, de um jeito ou de outro, a vida sempre quer para cada um de nós. E sabiamente, ela – a vida – está sempre nos encaminhando para a consolidação desta conquista, tarefa para a qual somos responsabilizados.

Abençoado(a) sejas, hoje e sempre. Até o próximo!

Terry Marcos Dourado

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.