ColunistasComportamento

Não mude por ninguém e não peça que ninguém mude por você!

As pessoas não mudam. Pensar que isso é possível é uma grande utopia, pois, na realidade, as pessoas apenas melhoram. E se melhoraram, é porque sentiram essa necessidade em seu íntimo e não porque o outro assim desejava.



Não nos enganemos!

Quando exigimos que o outro mude em algo por nós, ele pode até fazê-lo na nossa vã interpretação, mas não será de coração, pois a essência do ser é imutável e ao impor uma mudança a alguém estamos sendo egoístas.

Pensemos num exemplo: um novo romance! No primeiro momento conhecemos a pessoa como ela é (isso se ela não estiver usando máscaras para se vender para nós… aí, já é texto para outro dia!).


Encantamo-nos com aquele perfil e iniciamos os primeiros dias de uma paixão. Tudo lindo!

Os dias passam e com o passar desse tempo os primeiros “defeitos”, segundo as nossas expectativas de “ter o ser perfeito”, aparecem! Começam as críticas para cima do outro, acompanhadas de certa chantagem emocional intrínseca a nós, seres humanos.

O outro por sua vez também repara, no que para ele são os nossos defeitos, e nos pede mudanças.


Podemos forjar uma mudança, bem como a outra pessoa. Esquecemo-nos de quem somos e começamos a absorver a ideia alheia de que estamos errando em algo por sermos como somos. Escondemo-nos de nós mesmos para agradar o outro.

O tempo vai passando e sentimos falta do que éramos e essas lacunas faltantes de nossa personalidade, as quais foram trancafiadas por nós mesmos mediante o julgamento do outro, gritam dentro de nós, em nossas celas internas.

Começamos a sentir um torpor misturado a frustração de não nos reconhecermos mais e isso faz com que descontemos essas sensações no outro.


E a paixão? Acaba-se! Muitos culpam a outra parte pelo sacrifício de terem se isolado e se afastado de seu verdadeiro eu e passam anos, ou a vida inteira em busca do que são e do que já não conseguem mais libertar, outros, respiram aliviados por voltarem a ser quem são e recobram o gosto de serem felizes sendo eles mesmos.

Conclusão?

Ame a outra pessoa da forma que ela é. Não peça que mude em nada, afinal quando a conheceu, gostou dela daquela forma. Se ela, e só ela, sentir que precisa melhorar em algo, sim “melhorar”, deixe-a perceber isso sozinha, pois só podemos evoluir em algo na nossa essência, quando, de fato, aquilo nos incomodar.


Mudar pelo outro é bobagem, pois nós nos perdemos em meio a isso. Exigir a mudança no outro é tolice e egoísmo, pois evidencia que não gostamos daquela pessoa de verdade, pois não a aceitamos como é, e desejamos que mude por nós.

Vigiemo-nos!


Como você quer ser lembrado? – aqui se planta, aqui se colhe!

Artigo Anterior

Não há nada oculto que não venha a ser revelado. E nada escondido que não seja trazido à luz.

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.