publicidade

Ninguém muda ninguém, ninguém muda sozinho. é nos relacionamentos que nos transformamos!

Encontros…



Muitas pessoas me perguntam como faço para manter a calma e não entrar em atrito. A minha resposta é sempre a mesma: eu também entro em atrito.

Pense bem. As pedras da nascente de um rio são pontiagudas, toscas, cheias de arestas. Ao longo do rio, com o atrito entre elas e carregadas pelas águas, durante uma longa jornada, as pedras se tornam polidas, limpas e arredondadas. Assim somos nós. Entre atritos e contatos, somos transformados. Para haver evolução, é preciso estar próximo, permitir o relacionamento com o outro, rolar, desgastar, evoluir e transformar.

Quando olho para trás, lembro-me de tantas formas pontiagudas que carrego no meu ser e das marcas de várias pessoas importantes registradas em minha alma. Seres que me permitiram no contato com eles, me transformar no que sou, ajudando a eliminar arestas, dando-me forma, transformando-me em alguém mais suave, mais inteiro, mais consciente. Existem aqueles seres que também me criaram arestas e que ainda preciso lapidar. Mas o contato com eles me faz crescer, me traz experiência.

Acredito que no fim de tudo serei uma pequenina pedra, cada vez menor e mais fácil de carregar. Mais perto de minha essência.


Finalmente serei parte do outro, do todo, e terei a compreensão exata da grandeza do universo e de quão pequena posso me transformar.

No amor, transformamos o atrito. No atrito do contato puro com o outro descobrimos o amor verdadeiro. É só através dos relacionamentos que nos permitimos desbastar os excessos. Tive a ilusão de que amar era evitar confrontos e sentimentos ruins. Descobri que na construção do amor, fazia parte ferir e ser ferido, ignorar e ser ignorado, ter e perder. Envolvimento gera atrito, que faz parte da lapidação do amor.


Afinal, ninguém muda ninguém, ninguém muda sozinho, nós mudamos nos encontros. É nos relacionamentos que nos transformamos.

Permita-se, mude, encontre-se.

Baixe o aplicativo do site O Amor e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Amor. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.