ColunistasReflexão

O ser humano complexo…

O ser humano é complexo, desde o momento   da consciência de sua existência, se tem criado teorias, “verdades” e explicações, desde que este passou a habitar esta terra.



Pretendo neste texto, sob uma perspectiva panorâmica e geral, descrever, de forma clara e sucinta, como funcionamos. Não pretendo detalhar neste momento todas as etapas do desenvolvimento, ou as várias teorias  que abordam o mesmo  fenômeno, seria demasiadamente exaustivo, não é este o propósito.

Para saber como funcionamos (sujeito, indivíduo, ser humano são sinônimos), primeiramente precisamos compreender as dimensões que totalizam o sujeito, independente do tempo, cultura ou história.

São as três dimensões do sujeito, a saber, ele é bio-psico-social. Essas dimensões não são separadas. Na prática, os conceitos aqui separados são puramente didáticos, elas se interagem e influenciam-se mutuamente.


A dimensão biológica é fácil de entender. Refere-se às estruturas biológicas que nos formam e nos compõem. Ciências como a medicina, por exemplo, estudam o sujeito nesta dimensão, priorizando como eminentemente bio.

A dimensão do psico são as emoções, pensamentos e linguagem. O social é a relação do sujeito com o meio e a forma com que este interage com ele.

São três dimensões que devem ser vistas em sua totalidade, nesse sentido, forma-se o biopsico, relações das questões biológicas com as psicológicas; o psicossocial, relação do psicológico com o meio social; e o biossocial, relação do corpo com as mudanças e influências sociais, formando as três dimensões que se interagem e influenciam-se mutuamente.


Se parar e olhar para a vida, perceberá essas  dimensões agindo e se relacionando. Isso já faz  o ser humano  altamente complexo.

Qualquer ação sobre este fenômeno precisa ser observado em sua totalidade. Qual delas é a mais importante?  A resposta é: depende, varia de acordo com a necessidade e vivência de cada sujeito. Por exemplo, uma pessoa que nasceu sem poder andar, pode se desenvolver perfeitamente, mesmo com sua limitação e essa dificuldade biológica não será um problema; uma outra pessoa, por exemplo, ao sofrer a perda do seu cônjuge, embora biologicamente saudável,  pode não querer mais viver e buscar um caminho ruim para si. Um outro exemplo é nascer com um problema neurológico que atinge gravemente a cognição e os pensamentos abstratos, neste caso, o bio influencia todas as demais dimensões.

Para concluir, não há uma “receita de bolo” para a existência humana, se houver, desconfie, pois, como já foi visto, somos um eterno vir a ser.


____________

Direitos autorais da imagem de capa: janifest / 123RF Imagens


O avanço da síndrome do dever de cuidar da vida alheia…

Artigo Anterior

Você é feliz com as escolhas que você fez?

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.