“Onde houver ódio, que eu leve o amor.” O mundo necessita de equilíbrio energético e de corações leves

Viva como São Francisco de Assis. Seja um instrumento de Deus na Terra!

“Senhor, fazei-me instrumento de Vossa paz.”

Senhor, quero atuar em Vosso serviço, neste planeta, para que os humanos possam vivenciar a Sua paz. Quero me tornar o seu anjo na Terra e guerreiro combatente do mal que tenta destruir a Sua Santa paz e a Sua amada criação.


“Onde houver ódio, que eu leve o amor.”

Senhor, nos ambientes ou situações nos quais os humanos estiverem em conflito, com a Sua Santa palavra, tentarei convencê-los de que o amor deverá superar quaisquer desavenças.


“Onde houver ofensa, que eu leve o perdão.”

Mostre a outra face e usufrua do dom do perdoar. Perdoe o máximo que puder, além de 70 x 7. Também busque o perdão. Este mundo necessita de equilíbrio energético e de corações leves, em paz, sem nada dever e sem nada estar trancafiado como mágoa. Perdoar e ser perdoado oferecem poder rejuvenescedor; é antídoto de combate de várias doenças e, ainda, meio eficaz para se evitar outras tantas, bem como, principalmente, purificar a alma. Perdoar e ser perdoador é ter a plena sensação real de leveza.


“Onde houver discórdia, que eu leve a união.”

Os humanos não estão imunes aos conflitos, assim, eles deverão se manter íntimos de Deus, de forma que, mesmo diante de relevantes desentendimentos, incluindo os de origem familiar (instituição imortal criada por Deus), possa ser mantida e potencializada a união. Que os desentendimentos possam revigorar a união familiar e que não sirvam eles, jamais, para desfazer laços que deveriam ser incorruptíveis.


“Onde houver a dúvida, que eu leve a fé.”

Possuir a fé e não ter dúvida sobre algo ou alguém; é acreditar, firmemente, que a almejada conquista será alcançada. A ausência de dúvidas que leva à verdadeira prática da fé, poderá mover montanhas. Não tenha dúvidas, caminhe, persista e atinja, sabiamente, o seu alvo, sempre de forma benéfica.


“Onde houver erro, que eu leve a verdade.”

A verdade deverá, sempre, imperar, por mais que doa. As pessoas não poderão ser mantidas em erro, até porque um erro leva ao outro e, assim, sucessivamente.


“Onde houver desespero, que eu leve a esperança.”

Por mais desesperado(a) que você possa estar, não perca a fé, pois os “tijolos” desta construirão castelos de esperança. Não se desespere e mantenha-se firme nela. A Esperança é o caminho da fé! Andar com esperança é ter certeza de que, através da fé, o objetivo será alcançado da melhor maneira, ainda que alguns obstáculos tenham que ser transpostos.


“Onde houver tristeza que eu leve a alegria.”

A tristeza sempre será um personagem que aparecerá em alguns cenários da sua vida, mas, independentemente desses momentos, procure manter o seu coração alegre ou em paz, pois você foi um dos privilegiados por Deus ao ser escolhido(a) para desfrutar da vida neste fascinante planeta azul.


“Onde houver trevas, que eu leve a luz.”

Seja um mensageiro da luz, da Luz Divina, enfim. Quanto maiores forem as trevas, mais evidente se fará o menor foco de luz; foco salvador de quem vive na escuridão, desmotivado e sem sentido de vida. A luz vencerá a escuridão!

“Ó Mestre, fazei que eu procure mais consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna.”

Assim, deveremos ser mais caridosos, do que esperarmos caridade; entender (por vezes, em silêncio) do que tentar ser entendido e, ainda, amar mais (incondicionalmente) do que ser amado.

Viver como São Francisco de Assis é viver mais para o outro, do que para si, assim como o Salvador nos ensinou, para que possamos ter nossas almas mais leves, neste planeta com tantos desafios que poderão causar peso na alma!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Amor: Andreus/123RF Imagens.




Deixe seu comentário