Por que faz isso com você? Por que aceita migalhas quando pode ter o banquete inteiro?

5min. de leitura

Olhe, menina, precisamos conversar, e quero que preste atenção em mim. Você é aquela menina da pré-escola que sonhava em ser professora ou astronauta.



Você é aquela adolescente do ensino médio, que queria viver um amor de cinema e constituir uma família, aquela jovem que entrou com o pé direito na faculdade, sonhando com uma carreira promissora e jogo de cintura para conciliar a vida pessoal e profissional.

Você venceu, menina. Do seu jeito, tendo as promessas cumpridas ou não, você venceu. É vitoriosa, independente, amada e admirada.

Você venceu porque lutou por seu espaço, porque superou os dissabores da adolescência, porque driblou a guerra com o espelho, porque passou noites em claro planejando o futuro, porque se esforçou, suou e batalhou por cada conquista que tem hoje.


Mas algo não está saindo conforme o combinado, e você sabe disso. Você sofre e se pergunta se está fazendo tempestade em copo d’água, se está exigindo demais da vida e agindo como uma garotinha mimada que quer ter todos os seus desejos atendidos.

Mas, lá no fundo, você sabe que algo está ruim, que algo está tirando sua paz, e embora tenha inúmeras chances de virar o jogo e ser feliz, você se apega à infelicidade. Por que faz isso com você, menina? Por que continua aceitando migalhas quando pode ter o banquete inteiro?

Você escuta que deve tratar uma pessoa como ela a trata, mas você não consegue ser fria e distante assim. Você até tenta, mas não é como gostaria que as coisas fossem.


Você padece com a frieza dele, e sofre, sofre, sofre. Chora e não pode reclamar, pois ele dirá que você está fazendo drama, que odeia cobranças, que você não tem esse direito. Por que você continua aí, menina?

Você tem amigos, pessoas que a amam, mora no apartamento próprio, é linda, inteligente, independente, amada e admirada por tanta gente… Você merece o mundo, você merece o mundo, menina, você venceu! Não volte para a sarjeta, não se iluda com mensagens rasas, não se apegue ao que a faz sofrer, menina! Você tem muito valor!

Por favor, menina, escute-me: ficar sozinha não é o fim do mundo. Estar solteira não é o pior status do Facebook ou da vida como um todo. Você não recebe um carimbo de infelicidade por estar só ou por desistir de alguém que pouco se importa com você. Chega de tentar sozinha, chega de olhar para o celular de 2 em 2 minutos, chega de lapidar as mensagens que deseja enviar para não parecer cobradora ou desesperada demais. Você merece alguém que a queira na mesma intensidade, merece receber o mesmo amor que entrega, merece alguém que não a chame de dramática só porque você deseja proximidade.

Pode ser que o jeito de ele se relacionar seja esse, mas não é assim que você consegue lidar. Se lhe faz mal, não serve para você. Algumas pessoas podem tolerar esse tipo de relação, mas você não está conseguindo, e você sabe disso.

Você vai sumir, você vai desaparecer, você vai fazer falta, não para que sua falta seja sentida, mas para reencontrar a si mesma – mais amadurecida e mais feliz. Me ouve. Você tem muito valor, menina! Em nome daquela garotinha que você foi e que tinha tantas esperanças de ser uma pessoa adulta respeitada, amada, valorizada.

Não permita que a coloquem num lugar menor do que aquele em que você cabe. Você é enorme: enorme em valor, beleza, dignidade, amor, coragem e importância.

Você merece o mundo, e não as migalhas de alguém que se tornou grande aos seus olhos, mas na verdade não passa de alguém comum, que pelo simples fato de não lhe desejar na mesma medida, agigantou-se na sua ilusão.

Acorde! Viva! Seja feliz amando-se em primeiro lugar! Você merece, menina!

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.