Quando o outro deixa de nos olhar e passa a nos enxergar, acontece algo inesquecível…

5min. de leitura

Onde há vontade, há uma grande possibilidade de dar certo. E quando o outro deixa de nos olhar e passa a nos enxergar acontece algo inesquecível: o amor acontece. Amo você como nunca pensei que poderia amar. E esse amor me devolve a vida que um dia nós dois deixamos que se fosse em relacionamentos que não nos preenchiam.



Do dia para a noite agora sou eu quem vive em seus pensamentos. A brisa suave da primavera que vaga pelos seus pensamentos. Ocupa o seu coração e preenche a sua alma. Antes de pesar, agora de amor.

Um dia eu já fui a rainha do coração de outro alguém. A eleita. Então, veio o inverno e deixei de ser. Muito embora eu devesse ficar triste, agora eu sou a mulher mais feliz de todas que conheci até hoje porque entendi, um pouco tarde talvez, que nada dura para sempre e que há sempre o dia depois do amanhã.

Entender que o sol sempre volta a brilhar me libertou. Libertou-me das regras e leis em que eu me achava presa, desesperada e engessada.


Conhecer-me e me bastar como alguém que pode ser feliz sozinha, deixou-me livre para amá-lo. Amá-lo como nunca amei antes. Como nunca imaginei que podia querer você.

O amor se contenta com gestos simples, um café e uma conversa solta ao pé de uma lareira, um final de tarde vendo o sol se por, uma caminhada ao luar em uma noite calma no meio da semana. É aquele telefonema para ouvir a voz do outro, um abraço cheio de saudade e um beijo que traz todo o sentimento à beira do coração.

Acontece, em um dia qualquer, de conhecer uma pessoa e perceber que toda a vida que tínhamos até ali nos preparava para aquele momento.

Eu o desejo como desejo o sol todas as manhãs. Eu o quero. Meu corpo vibra à sua lembrança. Em sua chegada as horas param. O vento muda. Tudo fica de repente suave, mas ao mesmo tempo, uma tempestade se forma no horizonte.


Nossos beijos fazem avançar a tempestade que nos toma de assalto e confunde nossa mente, entrelaça as nossas almas. Dois amantes, duas vidas, uma história.

Nossos olhares, ora baixos, ora fixos um no outro, trazem de volta o vento macio e suave, que nos alimenta e sustenta.

O vento sopra nossas juras e lembranças dos nossos momentos juntos e, mesmo quando não nos encontramos, ainda parece que você  está aqui. Seu perfume em minha pele me acarinha, acalenta, afasta a solidão. Nunca estou só. Você, tatuado em minha pele, se achega à minha alma e me faz companhia.

Amo você como nunca pensei que poderia amar. E esse amor me devolve a vida que um dia nós dois deixamos que se fosse em relacionamentos que não nos preenchiam.

Não são os beijos às escondidas, nem o toque disfarçado de nossas mãos no meio da calçada. Não são os olhares e a boca entreaberta a sua procura que me matam de ansiedade. Na verdade, é a hora em que nos encontramos, como dois amantes, a hora mais esperada. A mais amada e a mais desejada.

Onde há vontade há uma grande possibilidade de dar certo. E quando o outro deixa de nos olhar e passa a nos enxergar acontece algo inesquecível: o amor acontece. Como é bom ser amada! Antes eu soubesse disso e jamais teria lutado tanto para ser o que um dia eu fui. Jamais voltarei a ser outra coisa, a não ser feliz.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: >manopphimsit / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

* Matéria atualizada em 09/04/2018 às 15:23






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.