Quantas vezes você acreditou em palavras de alguém tao especial que se foram com o vento?

7min. de leitura

Meu Querido Professor Sapo…



Quantas vezes você acreditou em palavras de alguém tão especial, que se foram com o vento?

Quantas vezes você leu e releu o mesmo e-mail romântico enviado por aquele que se dizia ser o amor da sua vida, querendo entender uma ou mais palavras nas entrelinhas?

Pois é, minha amiga… depois de um tempo você estava aí… triste e desiludida, vendo seu lindo castelo desabar sobre a sua cabeça sem nenhuma explicação plausível!


É nessa hora que você se pergunta o que significaram todas aquelas palavras lindas enviadas para você em um e-mail que se tornou quase como uma oração diária, em que você lia todos os dias para ter plena certeza de ser amada como nunca antes! E você não consegue aceitar o sumiço do autor de tantas poesias   endereçadas somente a você, musa inspiradora!

quantas-vezes-voce-acreditou-em-palavras-capa-e-dentro

Você acreditou nas frases doces, na reciprocidade e na troca de energia entre duas almas gêmeas, não é mesmo? Vocês tinham uma química incrível. Tão raro isso hoje em dia! Suas amigas morreriam de inveja, afinal e além de tudo, o seu príncipe era imponente! Não, ele não era qualquer um!  Você acreditou ter nascido com uma sorte inabalável, pois um amor assim não existe mais hoje em dia, convenhamos!


Então você manda mensagem, telefone, usa todas as redes sociais na busca por uma resposta, tenta uma explicação … e nada! Chega a pensar que algo aconteceu com seu príncipe encantado, mas sua cabeça ingênua e romântica se recusa a acreditar que ele tenha virado um sapo! Você procura todas as fontes possíveis e descobre no final de tudo, que aquelas palavras foram verídicas sim, mas momentâneas… que aquele amor todo existiu sim, mas só da sua parte, da outra talvez um interesse carnal ou, na melhor das hipóteses, um fogo de palha … e que seu príncipe sim, virou um belo de um sapo boi! Aliás, diga-se de passagem, você está com tanta raiva do ser, que até se recusa a chamá-lo de sapo por pena de denigrir ainda mais a imagem desse anfíbio dentro da fauna!

Você está inconformada! Começa então o processo de automutilação psicológica, tentando procurar a causa desse rompimento inexplicável! Você se questiona sobre o seu perfume, a cor da camisola de cetim que comprou especialmente para aquele dia, que talvez não tenha agradado, algum assunto que talvez o tenha magoado! Começa a pesquisar defeitos em seu corpo… talvez a celulite e a estria, aquela gordurinha localizada no lado interno da coxa esquerda!

Talvez, ele tenha notado que você não era tão perfeita assim, ou ainda, tenha se enjoado de tanto amor e você começa a se sentir a pior das mortais! Você começa a tomar medicamento controlado para tentar aliviar aquela dor horrível que amarra o peito, como um choro reprimido que não passa nem com a reza brava da mãe de santo, que você procurou, depois de ter colocado até galinha preta na encruzilhada com espumante e farofa na tentativa de ele voltar e nada! É minha filha, você chegou no fundo do poço!  Todos estão preocupados com você, seus amigos lhe chamam para sair… você até tenta, mas só tem vontade de chorar! Você vê as árvores de natal no shopping e lembra de quão feliz você era, quando criança! Você olha o Papai Noel sentado em seu trono a espera de crianças para fotos temáticas e começa a chorar por pena daquele homem, que a essa altura, deve até soar frio por ser obrigado a aguentar o calor sob as roupas e a barba de algodão em pleno Dezembro, por míseros quinhentos reais! Você vê uma esfirra de queijo mordida em cima de uma mesa, na praça de alimentação e não contém as lágrimas pois foi a última coisa que vocês dois comeram juntos antes dele lhe deixar em casa para nunca mais! E você fica assim por um bom tempo, até que um dia você resolve dar um basta naquilo tudo… viveu o luto da perda e precisa recomeçar! A dor ainda não saiu, as lágrimas ainda persistem …, mas você segue em frente assim mesmo! E sem querer, depois de ter passado a dor, depois de ter sobrevivido e ficado com uma bela cicatriz no coração, na fila do cinema você esbarra em alguém familiar…que mundo pequeno! Sapos também vão ao cinema?

Mas que coincidência do destino, ora, ora! Ele lhe pergunta como vai a vida… e você, do alto do seu salto quinze, aperta sua mão com um lindo sorriso   e diz que tudo vai bem, obrigada. (Está certo que sua vontade era de acertar a cara dele com o último golpe que aprendeu nas aulas de Muay Thay, mas é preciso manter a dignidade, certo?). Ele pergunta se você quer companhia para assistir ao filme! Você agradece como uma dama, e aceita com a condição dele ir comprar a pipoca enquanto você espera na fila!   Ele, então, todo garboso e confiante, obedece ao seu pedido mais que prontamente, afinal quem poderia resistir a um homem tão charmoso como aquele, não é mesmo?

A cara de pau do sujeito chega a níveis históricos, dignos do prêmio óleo de Peroba, daqueles que se passa em madeira! Enquanto isso, você sai da fila e decide por outro programa, afinal percebe que sapos, ainda que metidos a Príncipes, insistem muito quando querem alimentar seu ego e cansam a nossa beleza … melhor sair de cena a francesa e deixá-lo com o balde de pipocas coberto com bastante gordura hidrogenada e sal só para ele, afinal, sapos também se tornam grandes professores quando a gente quer aprender a lição!

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.